Atraso no pagamento de ônibus escolares é analisado por vereadores

Eles lamentam morosidade do município em resolver problema legal e exigem celeridade no caso

Alertados pelo vereador Pedro Correa Lima (PTB) de que o município de Marabá continua em débito de três meses com operadores do transporte escolar na zona rural do município, a grande maioria dos legisladores se manifestou sobre o caso e cobrou uma resposta urgente do governo municipal para solucionar o problema.

Pedro Correa disse que há vários proprietários de ônibus que estão há três meses sem receber recurso do município. Ele lembrou que atualmente há São 53 linhas e 53 pais de famílias que estão sem receber cerca de 500 mil reais e estão pagando combustível do próprio bolso. “Essas pessoas não têm coragem de vir à Câmara reclamar abertamente porque têm medo de represália. Sabem que podem perder a linha”, lamentou Pedro Correa.

Segundo a presidente da Câmara, Júlia Rosa, os donos de ônibus enviaram oficio ao Legislativo pedindo providências para o caso deles há algumas semanas e depois foram pessoalmente dizer que a Semed (Secretaria Municipal de Educação) chamou para conversar e resolver o problema. “Garantiram, àquela época, que iriam pagar no dia seguinte”, disse a presidente, sugerindo que se converse com a gestão da Semed porque considera que o transporte escolar é essencial na zona rural do município.

Por sua vez, o vereador Alécio Stringari, que reside na zona rural e vive o dia a dia das comunidades afastadas do centro da cidade, lamentou que a falta de transporte escolar em várias vilas e criticou o fato de o pagamento dos proprietários de ônibus esbarre na morosidade do governo, que não resolve o problema da legalidade existente. “O secretário de Educação e equipe de governo precisam resolver esse assunto, porque há uma grande quantidade de pessoas que está sendo prejudicada”, alertou.

O vereador Pedro Souza, líder do governo na Câmara, argumentou que o problema não é a falta de dinheiro, mas falta de legalidade para efetuar o pagamento por um erro no processo licitatório. Ele convocou uma reunião emergencial para está terça-feira, às 16 horas, na sala das Comissões da Câmara Municipal de Marabá, afim de que a Progem, Comissão de Licitação, Controladoria e vereadores achem uma solução o mais rápido possível para o caso. “A gente espera que tudo seja resolvido até a próxima sexta-feira, dia 18”, disse o líder do governo.

Por outro lado, o vereador Pedro Correa acha que está havendo é muita morosidade e não apenas uma questão de legalidade. Ele lembrou que foi homologada a licitação há dois meses e até agora não se fez o pagamento devido aos contratados para o serviço de transporte de estudantes. “O prefeito João Salame tem de solucionar esse impasse. Ficam jogando da Progem (Procuradoria Geral do Município) para a Cogem (Controladoria Geral do Município) e o tempo vai passando e os donos de ônibus estão sem condições de trabalhar e estão chorando”, lamentou Pedro Correa.