Câmara faz Sessão Solene pelo Dia da Bíblia e promulga Decreto Legislativo

Vereadores declaram que o município de Marabá está sob a proteção de Deus

 

Doze pastores e membros de várias denominações diferentes participaram da Sessão Solene promovida pela Câmara Municipal de Marabá nesta quarta-feira, 11, em celebração ao Dia da Bíblia e também para promulgar o Decreto Legislativo de número 1.124, de 9 de julho de 2013, que declara o município de Marabá sob o governo e a proteção de Deus.

O vereador e vice-presidente da Câmara, também pastor da Assembleia de Deus Missão, disse que Marabá não é o primeiro município a declarar, através de Decreto Legislativo, que a cidade é de Jesus. Lembrou que a Bíblia, escrita por 40 homens inspirados por Deus, foi elaborada por pessoas de todos os níveis sociais no período de 1.600 anos e nela não há nenhuma incoerência ou contradição. “Que toda honra e glória seja dada ao Senhor Deus. Cada vereador que aqui está foi abençoado pelo Senhor. Por mais que alguém o critique, Deus lhe permitiu que você estivesse aqui. Agradeça a Deus porque foi ele quem concedeu o privilégio de você ser vereador”.

A vereadora Irismar Araújo Melo enfatizou que a Palavra de Deus se renova a cada manhã e cada pessoa que busca esse Livro Sagrado vai encontrar palavras de advertência, de libertação e de conforto. Para ela, o problema de terça-feira, com entrevero entre dois vereadores, foi algo que tentava macular o que ocorreria no dia posterior. “Deus quer que nós vivamos em paz, Ele não nos fez para vivermos na violência e miséria, mas para uma vida melhor. É um desafio amar ao próximo como a nós mesmos, mas esse é o mandamento bíblico. Precisamos tratar as coisas de Deus de forma respeitosa. Queremos os preceitos de Deus movimentando essa Casa de Leis”, disse Irismar.

Na sequência da Sessão Solene, a presidente da Câmara, Júlia Rosa, promulgou o Decreto Legislativo que declara que o governo e a proteção de Deus estão sobre o município de Marabá.

Júlia disse que muitas pessoas vêm para Marabá em busca de um horizonte dourado e atrás de um projeto que é propagandeado, acabam se frustrando, mas depois encontram aqui o conforto da Palavra de Deus. “Que esse Deus reine sobre o município de Marabá, cidadãos e autoridades do município para promover paz, saúde e justiça social em nosso município”.

Ela também agradeceu aos vereadores que votaram pela aprovação do Decreto Legislativo e disse que os cristãos devem promover a justiça social e os vereadores leis que levem a paz à comunidade.

Júlia conclamou os presentes a vivenciar o que a Bíblia preconiza. Lembrou que quando Jesus veio como filho de Deus, fez uma opção pelo pobre e oprimido. “Às vezes, nos esquecemos disso no aconchego da igreja, e não pedimos pela cidade e nossos irmãos. Nosso papel é nos envolvemos nos bolsões de miséria, nas famílias sem resgate, na essência do amor, e não sabemos por que a sociedade descambou para a violência”, lamentou Júlia.

A vereadora Irmã Nazaré fez uma reflexão sobre a importância de se dar honras a Deus e perguntou “o que seria de nós se não fosse a misericórdia de Deus. Não podemos descartar a pregação do evangelho a ninguém. Todos carecem da misericórdia do pai eterno”, sustentou.

O vereador Guido Mutran, católico, disse que os cristãos devem ser exemplos em qualquer circunstância. “Se você quer conhecer alguém, lhe der o poder. Se ela se mantiver íntegra, ela é integra de verdade. Passo por um período em que busco a Deus a todo momento. Tenho a certeza que preciso fortalecer minha fé cada vez mais. Que Deus nos permita vivenciar a humildade o comprometimento com o nosso próximo, buscando amenizar as desigualdades, porque o verdadeiro amor se chama Jesus” falou Guido.

Também católica, a vereadora Vanda Américo se disse decepcionada quando vê alguém usar o nome de Deus em vão, como já presenciou na política em Marabá, no mandato passado. “Espero que nossa cidade seja abençoada com esse decreto. Deus não pode estar só nos corações, mas na prática. Temos que agir com respeito e confiança, ou iremos aprofundar mais as crises sociais”.

Para a vereadora mais antiga da Casa, todos têm de honrar a Deus trabalhando e dignificando o Seu nome. “Um gestor não é dono da cidade ou do mundo. Temos de fazer de Marabá uma cidade melhor de se viver, mais justa e séria. Uma Marabá mais humana e igualitária, e Deus é quem pode nos ajudar a fazer isso”, reconheceu.

O vereador Alécio Stringari disse que esse é um momento importante para ele, e avalia que Marabá sempre foi abençoada. “No Legislativo, temos o compromisso de fazer cada um a sua parte. Quero entender que Marabá está protegida, mas será que estamos fazendo a nossa parte? Independente de religião, nós somos responsáveis pelo que acontece de bom e de ruim, porque Deus nunca nos abandona”.

Marcelo Souza, representante da Associação dos Deficientes Visuais de Marabá, fez a leitura bíblica em braile e para ele a Bíblia é um manual de vida, e nela consta tudo que precisamos. “Passamos por provações e a Bíblia nos dá a resposta que precisamos”.

Ele explicou que a maioria dos cegos decora os versículos da bíblia e leu o Salmo 78, versículo 1.

A Pastora Sueli Lara, da Assembleia de Deus Madureira, considerou o dia da sessão solene da Bíblia como uma data especial, e agradeceu a todos que tiveram a ideia de declarar Marabá uma cidade sobre o governo de Deus. “Deus nos coloca em posições para sermos úteis, para fazermos o melhor, e por isso temos de ser mais humildes”.

O pastor Armando fez leitura do texto bíblico em hebraico e a bispa Maria Aldecy Pissolati leu um versículo do Salmo 46. “Eu queria de alguma forma fazer Deus grande em qualquer lugar, e li esse salmo porque Deus me mandou. O Senhor nos deu os dias para vivermos e disponibilizou tudo para nós. Ele é Senhor de tudo, que possibilitou que nós vivêssemos em unidade, em um país de paz, apesar das injustiças”.