Câmara realiza Sessão Solene para celebrar o dia do Maçom e entrega três comendas

Solenidade acontece há 20 anos

Na noite desta segunda-feira, dia 26, a Câmara Municipal de Marabá realizou Sessão Solene em homenagem ao Dia do Maçom, a qual já acontece há 20 anos na sede do Poder Legislativo. A celebração foi uma solicitação do vereador Miguel Gomes Filho, o Miguelito, em 1997, em face do brilhante trabalho desenvolvido pelas lojas maçônicas na cidade. Estiveram presentes à sessão os vereadores Pedro Corrêa, Cristina Mutran, Alecio Stringari, Miguel Gomes Filho e Cabo Rodrigo.
A Mesa Diretora foi formada por Miguel Gomes Filho, Pedro Corrêa, Vagner Espindola, grão mestre da Loja Maçônica do Pará; Alecio Stringari; Cristina Mutran; deputado federal do Grande Oriente, Antônio Joaquim Garcia; Pascoal de Oliveira, delegado Regional; Venerável Mestre da Loja Maçônica Firmeza e Humanidade Marabaense, José de Anchieta Brito Chaves; Venerável Mestre da Loja Maçônica Trabalho e Silêncio, Pablo Túlio Macedo Dutra; venerável mestre da Loja Maçônica Pioneira da Transamazônica, Paulo Sérgio de Souza Almeida. 
Miguel Gomes Filho lembrou como surgiu a comemoração do Dia do Maçom na Câmara, atribuindo a Wagner Espíndola a autoria da ideia. Disse que em 2017 a Câmara concede três títulos de honra ao mérito para indicados da Maçonaria e que essa comenda foi uma ideia do atual presidente, Pedro Corrêa. Miguel disse que nunca faltou a uma sessão na Câmara e na solenidade do Dia do Maçom. Miguelito frisou que essa é uma forma da Câmara prestar as devidas homenagens à instituição e aos maçons, pelos trabalhos desenvolvidos em Marabá. Pascoal de Oliveira, delegado Regional da 3ª Região do Pará, elogiou a inovação com as honrarias concedidas pela Câmara para os maçons de maior destaque. Segundo ele, para conhecer a instituição Maçônica não há mistério e que os obreiros da Maçonaria trabalham diuturnamente em busca de uma melhor sociedade. “Os maçons adotam a ideia de uma sociedade limpa, pura, fraterna e solidária”.
Antônio Joaquim Garcia, deputado federal e membro da Loja Maçônica Grande Oriente, disse que a Maçonaria tem de ser mais coesa e sincera e representar melhor a sociedade, engajando-se mais no atendimento das pessoas mais carentes.
Vágner Espíndola se disse orgulhoso em receber o título de Cidadão Marabeense e Paraense, mas nada o entusiasma mais do que estar ao lado dos irmãos maçons. Segundo ele, a Maçonaria verdadeira procura aperfeiçoar o cidadão e que a união é a força maior para que o dia de amanhã possa ser melhor, mais justo.
O vereador Alecio Stringari falou da importância da maçonaria e das cunhadas, como são chamadas as esposas dos maçons. “A Maçonaria é uma instituição que faz a diferença e luta por uma sociedade mais digna e justa”. 
Cristina Mutran revelou que seu pai foi maçom e que é com muita satisfação que participa da primeira sessão solene em homenagem ao maçom na Câmara. Para ela, os princípios maçônicos sempre são ligados ao grande arquiteto do universo, Deus, pois seu membros combatem os vícios e buscam a mais elevada virtude. Ela lembrou que a data de 20 de agosto foi escolhida o Dia do Maçom pela participação deles na Independência do Brasil. “A Maçonaria está presente no Brasil desde a Inconfidência Mineira, sendo instalada em 1801. E a partir de 1809 foram criadas as lojas maçônicas”, relembrou a vereadora. 
Cabo Rodrigo se mostrou feliz em participar de uma sessão solene em homenagem à Maçonaria, “uma instituição que está há mais de 60 anos em Marabá e serve de escola no mundo inteiro, trabalhando com a difusão de humanismo e fraternidade”, elogiou.
Pedro Corrêa parabenizou o idealizador do projeto, Miguel Gomes Filho e disse que ele, Miguelito, esteve presente em grandes projetos de Marabá, entre os quais a construção do prédio atual da Câmara de Marabá. “A responsabilidade do desenvolvimento muitas vezes atribuímos a prefeito e vereadores, e a sociedade se desenvolve e cresce quando há união. Não podemos apenas culpar os outros e sim participar das decisões. O trabalho da maçonaria de filantropia, de dignidade de união faz a diferença”.
A comenda de Honra ao Mérito foi entregue ao senhor Antônio Jorge de Paula, Paulo Bosco Rodrigues Jadão e Valby Ferreira Camargo.
Em seguida, a palavra foi franqueada aos homenageados. Valby Ferreira Camargo foi o primeiro a subir na tribuna e disse que procura fazer da ordem maçônica sua universidade. “O maçom não patrocina conflitos de qualquer natureza, por ser moldado por princípio de ética e encorajamento. O maçom crê nos que compartilham a solidariedade e nos que trabalham para o bem”.
Luís Gustavo falou em nome de seu irmão maçom Antônio de Paula, o qual, segundo ele, deu várias lições para os novos maçons. Disse que os conselhos de Antônio levam a uma reflexão para a responsabilidade dos atos e exemplifica a verdadeira forma de ser maçom.