Câmara realiza Sessão Solene pelos 30 anos da Constituição

Evento será nesta quinta-feira, dia 11, com participação de juiz da Vara de Execução Penal

A Câmara Municipal de Marabá, por meio da Escola do Legislativo (Elmar), realizará nesta quinta-feira, dia 11 de outubro, uma sessão solene em comemoração aos 30 anos da Constituição Federal, considerada o símbolo da democracia do Brasil. Também conhecida como Constituição Cidadã ou Carta Magna, a obra será homenageada em evento agendado para o Plenário da Câmara Municipal.

A sessão será conduzida pelo presidente da Câmara, Pedro Corrêa Lima, mas também terá a participação especial do juiz Caio Marco Berardo, da Vara de Execução Penal da Comarca de Marabá, que ministrará uma palestra sobre os 30 anos da Constituição. Aos estudantes que participarem será conferido um certificado com a carga horária do evento.

Também haverá apresentações culturais, com a participação de Lusa Silva, da Associação de Escritores do Sul e Sudeste do Pará e da Academia Paraense de Cordelista, que fará um recital de cordel em homenagem à Constituição; Também teremos execução do Hino de Marabá com a Banda de Música da 23ª Brigada de Infantaria de Selva; discurso da professora doutora Marilza Sales Costa; apresentação dos alunos da Escola Municipal Pedro Peres Fontenelle, com uma paródia da música “Asa Branca” sobre a Constituição.

No dia 5 de outubro de 1988, há exatos 30 anos, a atual Constituição brasileira foi promulgada. Conhecida como Constituição Cidadã, por ter sido criada no processo de redemocratização, marca o fim do período da ditadura militar no Brasil. A nova Constituição já foi considerada uma das mais modernas do mundo.

Em função do foco na eleição do último domingo, dia 7, a Escola do Legislativo e a presidência da Câmara definiram por realizar o evento comemorativo na semana seguinte.

De acordo com dados históricos do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em 1988, quando a Constituição foi promulgada, o Brasil tinha 141 milhões de habitantes ante os atuais 208 milhões. Ao longo desse tempo, o país superou uma crise econômica sem precedentes, com uma hiperinflação que passou dos 900% ao ano. Viu as taxas de analfabetismo caírem quase pela metade, de 19% na década de 1980 para os atuais 11%.

A comparação entre épocas

O Brasil de 1988 tinha uma população de 141 milhões de pessoas, sendo que 75 milhões eram eleitores. No total, 19 mil brasileiros eram considerados analfabetos, e o salário mínimo era de 40.425 cruzados — o equivalente hoje a R$ 598. Na época, o desemprego chegava a 3,8% e a expectativa de vida era de 64,5 anos. Em termos de comparação, hoje, o país conta com uma população de 208 milhões de pessoas, sendo 147 milhões de eleitores. São 11 mil analfabetos, de acordo com o IBGE. O salário mínimo é de R$ 954,64, e o desemprego alcança 13,1% da população, com expectativa de vida de 75,5 anos.