Comitiva marabanese discute, em Brasília, operações da hidrovia Tocantins-Araguaia

Reunião contou com a participação de vereadores, secretário e prefeito municipal

No encontro entre representantes da Companhia de Portos e Hidrovias do Pará (CPH) e a Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq), em Brasília, nesta quinta-feira, 8, com uma delegação marabaense, o tema central  do debate foi  pautado no andamento e posicionamento do Governo Federal quanto à viabilidade de execução do canal hidroviário  Tocantins Araguaia.

Além de assuntos de relevância para a região de Carajás e para o Estado do Pará, como o derrocamento do Pedral do Lourenço no Rio Tocantins, retomada do projeto e construção do Porto Público de Cargas de Marabá, construção concomitante da eclusa junto com a barragem, na futura usina de Marabá.

Na audiência, ocorrida hoje pela parte da manhã, em Brasília, para definir os rumos da implantação da hidrovia do Tocantins, a vereadora Júlia Rosa se mostrou otimista e disse que o encontro foi muito produtivo, e trouxe um sentimento de esperança para a região. Segundo ela, foi informado para a comitiva marabaense pelo diretor-geral do DNIT que a hidrovia é peça fundamental no modelo de desenvolvimento pensado pelo Governo Federal, e que em setembro será lançado, em Marabá, o edital de licitação para execução da obra, embora a data precisa ainda não esteja definida.

Júlia também afirmou que foi repassado aos representantes municipais, que não será necessário a retirada de uma nova licença ambiental, pois serão necessários apenas pequenos ajustes ao projeto original.

Júlia Rosa disse que o DNIT garantiu que resolverá o problema da passarela do Shopping, mas que está esperando a Prefeitura de Marabá enviar o projeto para o departamento de Engenharia. Em relação ao cruzamento polêmico da Folha 33, onde foi instalado um semáforo no ano passado, na Rodovia Transamazônica, o diretor Jorge Fraxe pediu para o município enviar imagens aéreas do local para que sua equipe técnica defina qual a melhor saída para o problema, se um viaduto ou passarela.

Outro assunto que a comitiva marabaense apresentou ao diretor do DNIT foi a necessidade de duplicar urgentemente a BR-155, no trecho entre a ponte sobre o Rio Tocantins e o Distrito Industrial. Fraxe disse que o seu departamento vai analisar de que forma essa obra pode ser executada, possivelmente através de convênio com outra instituição.

Participaram do evento, além da presidente do Poder Legislativo local, os vereadores Miguel Gomes Filho, Vanda Américo, Leodato Marques, Pedro Souza e Coronel Araújo; o secretário de Indústria e Comércio Ítalo Ipojucan, além do deputado federal Asdrubal Bentes e o prefeito de Marabá, João Salame.