Em audiência pública, LDO recebe sugestões da comunidade

Mais de dez representantes da comunidades apresentaram sugestões para a Lei de Diretrizes Orçamentárias

Reclamações e desabafos tomaram conta da audiência pública para discutir a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) 2018. O evento aconteceu nesta terça-feira (27) na Câmara Municipal de Marabá. Guiada pela Comissão de Finanças e Orçamento da Casa, teve importantes manifestações populares e muitas falas engasgadas durante as duas horas de debate. Após o encontro, a Lei deverá receber emendas e voltar ao Plenário para ser votada nesta quarta-feira, dia 28.
Sob a presidência do vereador Carlos Roberto Gonçalves Miranda (PSDB), o Beto Miranda, o vereador Gilson Dias contribuiu bastante na organização da audiência. A Mesa Diretora recebeu solicitações de inclusão de algumas proposições de representantes de entidades, associações e órgãos municipais na LDO. 
O conselheiro tutelar Gilberto Soares dos Santos, conhecido como Beto Jamaica, defendeu que esteja incluída na LDO do município a manutenção, salários e custeio de cursos de formação continuada dos dois Conselhos Tutelares da cidade. “O Conselho Tutelar é um órgão de proteção e defesa e a gente, muitas vezes, fica a mercê dos orçamentos e não está assistido dentro da LDO e da LOA. E quem dirige o orçamento é o governo municipal, que também deveria convocar audiências públicas”, declarou. 
Já Manuel Sebastião, representante da Vila São José, aproveitou o momento na tribuna falar sobre participação popular na CMM. Embora não tenha apresentado nenhuma proposta a ser incluída na LDO, falou que nesta terça (27), pela importância da ocasião, a Casa deveria estar cheia. “De tão enganados, já estão todos desacreditados. Mas eu creio que se reunirmos todo mundo, a união faz a força”, destacou, acrescentando ainda que a melhora do município depende de todos os marabaenses e que a Câmara está cumprindo seu papel. 
Em sua fala, o vereador Tiago Batista Koch (PMDB), um dos representantes da Zona Rural na Câmara, solicitou que no orçamento o campo seja mais bem contemplado e citou números: “Temos 7 mil km de estradas vicinais, 3 mil km de rotas de transporte escolar e mais de 45 vilas. No governo passado as vicinais receberam muita atenção, muito foi feito, mas ainda precisamos fazer mais”, destacou ele. 
Em seguida, se pronunciaram representantes de vários segmentos comunitários, os quais pediram inclusão no orçamento de melhorias para atendimento aos jovens, transporte público, saneamento, pavimentação de ruas, investimentos no turismo e em outros setores. Todas as sugestões foram registradas em ata e devem seguir para a Secretaria do Planejamento a fim de que, avaliadas conforme o orçamento do município para o ano que vem, sejam incluídas, ou não, na Lei Orçamentária Anual (LOA) e no PPA.
UPA
Durante a sessão, os vereadores Irismar Araújo (PR), Marcelo Alves (PT) e Ilker Morais (PHS) pediram apoio dos demais parlamentares para lutar pelo funcionamento da UPA na cidade e também defenderam a inclusão do custeio da unidade na Lei de Diretrizes Orçamentárias.