Em greve: Servidores lotam a Câmara e pedem abertura de comissão processante

Mais uma vez, o plenário da Câmara esteve lotado por servidores públicos que cobravam o pagamento do vale-alimentação do servidor municipal

Mais um capítulo do atraso no pagamento do visa vale-alimentação ao servidor público municipal foi travado ontem em sessão ocorrida na Câmara Municipal de Marabá. Educadores, agentes da saúde e outros servidores municipais, lotaram as galerias do plenário reivindicando a quitação do débito da Prefeitura junto ao funcionário do município.

Após terem protocolado junto a Câmara Municipal de Marabá um pedido de abertura de comissão processante contra o Prefeito Maurino Magalhães. Os servidores públicos tinham a intenção de que os vereadores apreciassem na manhã de ontem (18/09) o documento. No entanto, isso não possível.

De acordo com o procurador jurídico da casa, Valdinar Monteiro, a Câmara só pode acatar um pedido dessa natureza, com pelo menos 2/3 do colegiado sendo favorável. Contudo, apenas 6 vereadores participaram ontem da sessão, impossibilitando a deliberação do pedido por falta de quórum.

Wendell Bezerra, coordenador do SINTEPP - Subsede Marabá- cobrou das escolas e servidores que ainda não aderiram à greve, a participação no movimento. “Estamos lutando por um direito de todos nós educadores, quase todas as escolas estão 100% paralisadas, mas alguns companheiros sofrem com a coação de alguns diretores, que reprimem o movimento, ameaçando os servidores”, acusou o sindicalista.

De acordo com Wendell, a manifestação continua. “Temos que continuar, não podemos aceitar a proposta de parcelamento da prefeitura e nem diminuir nossa luta”, ao final da sessão, os servidores cantaram o Hino Nacional e, do plenário, marcharam rumo ao centro administrativo da Prefeitura, para a realização de mais um ato de protesto.