Grupo de excedentes do concurso da PM reivindica convocação

Membros do movimento “Aprovados e não convocados do concurso público para admissão ao curso de formação de praças da Polícia Militar do Estado do Pará estiveram na Câmara Municipal de Marabá na sessão desta quarta-feira, 10 de dezembro, para falar sobre a convocação dos excedentes do concurso da Polícia Militar de 2016, do Estado do Pará.

Representando os excedentes do certame, Nadson Marlos Rodrigues Almeida disse que no Pará existe que uma defasagem no quantitativo de policias para atendimento da população e eles reivindicam que têm direito de serem chamados.
Ele destacou que o concurso previa 2 mil vagas, sendo 1.800 para o sexo masculinos e 200 para o feminino e que elas ultrapassaram o previsto, criando vagas que não foram oferecidas no edital. Na visão dele, privilegiaram apenas parte dos concorrentes. “Foram preenchidas mil vagas e depois acrescidas mais 700 que não estavam no edital. Portanto, isso fez com que reivindiquemos nosso chamamento. O concurso acabou nas 2 mil, e a partir do momento em que convocaram mais candidatos, feriu o princípio da isonomia. “Estaremos indo na Alepa para conseguirmos mais apoio. O concurso foi prorrogado e ainda estamos dentro do período”.
O representante também colocou da necessidade de sensibilizar o Governo do Estado para a questão. “Um novo curso dispõe de tempo e gasto. Os candidatos estão aprovados e é só nos chamarem”, disse.