Maio Amarelo: vereadores e DMTU debatem educação e conscientização no trânsito

Dirigentes do órgão de trânsito expõem dados e a preocupação com conduta de motoristas na cidade de Marabá

Representantes do Departamento Municipal de Trânsito Urbano (DMTU) de Marabá estiveram durante a sessão desta quarta-feira, 3 de maio, divulgando as ações e o Movimento Maio Amarelo, que tem a proposta de chamar a atenção da sociedade para o alto índice de mortes e feridos no trânsito em todo o mundo.
No início da sessão, o secretário de Segurança Institucional, Jair Barata, disse que o “Maio Amarelo” é um movimento, não uma campanha, porque precisa ser permanente, devendo chamar a atenção das pessoas para usarem a razão no trânsito. “Não é careta parar quando o outro está errado. É elogiável a pessoa que abre mão de seu direito para preservar a vida. Carecemos de pessoas que deixem seus direitos para dirigirem de forma defensiva”.
O secretário sustentou que uma das maiores consequências dos acidentes não são perdas financeiras, mas vidas ceifadas brevemente. “Os acidentes matam mais que câncer e, embora tenhamos muitos veículos mal cuidados, vias sem sinalização, o grande drama tem sido a imprudência dos condutores”, lamentou Barata.
De acordo com os organizadores do evento, o objetivo do movimento é uma ação coordenada entre o Poder Público e a sociedade civil, com a intenção de colocar em pauta o tema segurança viária e mobilizar toda a sociedade, envolvendo os mais diversos segmentos: órgãos de governos, empresas, entidades de classe, associações, federações e sociedade civil organizada, para que todos sejam engajados em ações educativas, abordando a amplitude que a questão do trânsito exige, nas mais diferentes esferas.
Com a palavra franqueada aos vereadores, Priscila Veloso disse que de acordo com os dados fornecidos pelo DMTU, 78% dos acidentes de trânsito acontecem com homens. Para ela, o Maio Amarelo é importante para que se avance na construção de um trânsito de paz em Marabá. 
Ilker Moraes falou da problemática do trânsito municipal, e disse que a conscientização é uma luta importante e diária. O vereador rememorou ainda uma proposição de sua autoria, que inclui a educação para o trânsito na escola. “A educação muda as pessoas”, sintetizou seu discurso parafraseando Paulo Freire.
O vereador Pastor Ronisteu parabenizou as ações e os trabalhos que vêm sendo realizados pela atual direção do Departamento de Trânsito de Marabá, principalmente, nas áreas periféricas da cidade.
Marcelo Alves, O Marcelo do PT, frisou que movimentos como o Maio Amarelo só vêm a contribuir com a diminuição de acidentes e aumentam a conscientização dos condutores sobre a problemática do trânsito. 
O vereador ainda falou sobre os números expostos de acidentes no país e pediu agentes na Avenida Antônio Vilhena em função da grande quantidade de acidentes que ocorrem em alguns perímetros daquela área.
Por fim, o vereador Marcelo Alves lamentou que pessoas informem em grupos de Whatsapp sobre blitze dos órgãos de trânsito, o que é um crime.
Miguel Gomes Filho, o Miguelito, elogiou os agentes de trânsito, os quais considera verdadeiros abnegados, colocando a vida em risco ao abordar condutores embriagados ou ás vezes valentões.
A vereadora Cristina Mutran disse que a ação educativa desenvolvida pelo DMTU é muito importante, principalmente para os jovens. “A gente vê direto óbitos nessa faixa etária e quem sofre é a família. Faltam educação e respeito na sociedade”, lamentou.
Alecio Stringari salientou que Marabá cresceu muito e seus problemas na mesma proporção. Para ele, há muitos irresponsáveis no trânsito, que causam diversos problemas e acidentes na malha viária. “A preocupação maior de quem dirige em Marabá são as ultrapassagens que vêm por todos os lados, e isso causa um dilema para o condutor”, disse.
Alecio se mostrou impressionado com um dado levantado pelo diretor do Departamento de Trânsito, de que ocorrem mais acidentes de carro do que de moto em Marabá. “Faltam sinalizações em nossa cidade, tanto vertical quanto horizontal”.