Mudança de nomes de escolas causa preocupação em vereadores

Irismar, Júlia Rosa e Vanda Américo pedem bom senso ao Ministério Público para conduzir a questão

Ao tomar conhecimento de que o Ministério Público fez recomendação à Prefeitura de Marabá para mudar o nome de 22 escolas que estampam o nome de personalidades vivas, a vereadora Irismar Melo reconheceu o cumprimento de seu dever por parte do MP, e ainda da legalidade da causa, mas sustentou que não faz parte do bom senso cometer essa injustiça com quem já foi homenageado em vida.

“Nessa lista temos pessoas que contribuíram para o crescimento do município na educação e agora terão seus nomes retirados dos logradouros. A gente entende que a Prefeitura vai cumprir a Recomendação do MP, porque se o município não cumprir, a promotora Mayanna Queiroz vai entrar na Justiça. Todavia, é um erro retroceder nesta questão agora”, ponderou a vereadora Irismar Melo.

Ela citou o nome da professora Avanir Tenório Ramos, que prestou grande contribuição para o município na área de educação por mais de duas décadas e que aposentou-se de suas funções. Como cristã, sempre foi dedicada ao trabalho e tornou-se um exemplo de cidadã marabaense e ao mesmo tempo servidora exemplar.

A vereadora Júlia Rosa lembrou que há figuras que emprestam seus nomes para escolas, como é o caso da professora Ilan Jadão, agora com 83 anos, que deixou um legando vasto para a educação de Marabá e agora terá seu nome, após mais de 10 anos, retirado da fachada de uma escola. “Dói no fundo da alma a retirada de seus nomes por causa do legado que deixaram para a história de Marabá”, disse Júlia.

A vereadora Vanda Américo concordou com as colegas e alertou que o processo é mais burocrático do que apenas a retirada de um nome e colocação de outro. Todas as escolas são registradas no Conselho Municipal e no Estadual de Educação, além de que os projetos e recursos junto ao Ministério Federal estão cadastrados em nome das escolas previamente nomeadas. “Esses nomes foram para Brasília e para efutarmos a mudança vamos sofrer vários problemas”, disse Vanda Américo, pedindo para que o Ministério Público fique atento com esta questão.