Nove personalidades recebem título de Cidadão Marabaense

Primeira noite de homenagem pelos 102 anos de Marabá é marcada por discursos de amor e carinho pelo município

Na noite desta terça-feira, 7 de abril, a Câmara Municipal de Marabá realizou Sessão Solene alusiva aos 102 anos de emancipação político-administrativa de Marabá para entregar comenda de Cidadão e Cidadã Marabaense para nove personalidades que contribuíram para o desenvolvimento do município e que não nasceram nesta cidade. A cerimônia foi presidida pelo presidente da Casa, Miguel Gomes Filho, o Miguelito, e contou com a participação de centenas de pessoas.

Na noite desta quarta-feira, 8, mais nove personalidades serão condecoradas com o título de Cidadão Marabaense. Abaixo, acompanhe a relação dos nove homenageados pela Câmara Municipal nesta terça-feira.

O presidente da Casa, o vereador Miguel Gomes Filho declarou aberta a Sessão Solene dando boas vindas aos presentes e, em especial, aos homenageados.

Miguelito afirmou que a Câmara Municipal de Marabá presta essa legítima homenagem às personalidades que se destacaram na sociedade local contribuindo com a história do município. “Essas pessoas, ao longo de suas vidas, ajudaram a construir a história de Marabá, dedicando uma parcela considerável de seus dias às obras espalhadas por este município, sejam elas materiais e imateriais. Todas possuem biografias irreparáveis e relevantes trabalhos em prol da nossa sociedade, nos mais diversos campos”, afirmou Miguelito.

O presidente lembrou ainda aos homenageados que as honrarias concedidas pela Casa - tanto de “Cidadão” como de “Cidadã Marabaense” - são os títulos máximos concedidos pelo município.

Entre os homenageados que usaram a palavra, Dom Vital Corbellini, Bispo da Diocese de Marabá, que foi o único homenageado por todos os vereadores e recebeu a comenda das mãos da vereadora Júlia Rosa, começou seu discurso citando João 3:16, da Bíblia, mostrando que Jesus amou primeiro e deu o exemplo para a humanidade. Ele dedicou o título à Diocese de Marabá, onde desenvolve um trabalho missionário há pouco mais de dois anos. “Também quero dedicar esse título ao povo marabaense, que me acolheu no dia 11 de dezembro de 2012. De lá para cá, tenho visitando comunidades, rezando com os padres, realizando missas nas paróquias. Esse título é missão para mim, de tornar a Diocese mais missionária e me compromete a ser mais marabaense, amar as pessoas e a Deus”.

O juiz César Dias de França Lins também agradeceu pela honraria recebida e lembrou que chegou a ser indicado em outras duas oportunidades para receber a comenda, mas os compromissos não permitiram. “Hoje, me sinto preparado para receber esse prêmio. Estou há nove anos em Marabá e aprendi a gostar desta cidade”, revelou.

O desembargador José Maria do Rosário disse que como juiz, atuou em diversas comarcas do Pará e Marabá foi o primeiro município que lhe outorgou uma comenda dessa natureza. “Marabá era uma comarca onde se dizia que de dia era 30 e à noite 38. Hoje, a cidade prospera e aponta para ser capital. Eu votei em favor da emancipação e tenho orgulho disso. Como desembargador, percebo que Marabá merece o status de terceira entrância, se ela não for antes capital de Estado. E vamos trabalhar para essa conquista”, prometeu.