Parlamentares pedem campanha educativa e melhor sinalização de trânsito

Vereadores criticam excesso de multas do DMTU

Na sessão ordinária desta terça-feira, dia 6 de março, vários vereadores criticaram o trabalho de agentes de trânsito do DMTU (Departamento Municipal de Trânsito Urbano). Não é a primeira vez este ano que o assunto é trazido à tribuna, mas o número de críticos aumentou ainda mais de tom.
O vereador Gilson Dias criticou o trabalho que vem sendo realizado pelos agentes e considerou a fiscalização como “arbitrária” na cidade. Ele pediu explicações do diretor do órgão, Jocenilson Silva sobre as blitze que estão levando dezenas de veículos para pátio de uma empresa privada, que cobra diária para sua retirada. “Queremos aqui a presença do vice-prefeito Toni Cunha e do diretor do DMTU pelas multas que estão sendo emitidas nos quatro cantos da cidade”, disse.
Na visão do vereador, ao invés de aplicar tantas multas, é preciso a realização de campanha educativa antes de punir. Ele também pediu sinalização nos pontos críticos e considera que muitas pessoas estão sendo multadas por estacionarem em locais onde não há fiscalização. “Alguém tem ganhado com pátio de retenção que está terceirizado. Precisamos de uma resposta. Vou cobrar todos os dias esse assunto aqui na Câmara”, avisou.

 

Dias citou o caso da rodovia que corta o núcleo São Félix, que o DMTU sempre alegou que seria competência do Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes), observando que o órgão nacional, recentemente, informou que a competência naquela área urbana é do município. No caso, o DMTU. 
O vereador Frank Varão concordou com o colega Gilson Dias e citou casos de conhecidos seus que foram multados, segundo ele injustamente, por estacionar em local que não tinham sinalização de proibição.
O vereador Márcio do São Félix disse que pediu, de fato, a sinalização e faixas em julho do ano passado. Observou que os moradores da região cobram muito sinalização horizontal e vertical naquela via, mas o DMTU está protelando. “Eles são eficientes em relação à correção, mas não têm cumprido o dever de sinalizar. Não podemos esquecer a lei do bom senso”, ponderou Márcio.
Márcio também pediu esclarecimentos do DMTU sobre o Plano de Mobilidade Urbana de Marabá, já que município deixou de receber verba no passado recente por falta da documentação.
O vereador Marcelo Alves foi outro que criticou a ação dos agentes do DMTU e disse que está preocupado com o valor de cobrança do pátio de retenção, que cobra R$ 38,00 por dia. “Alguns veículos estão com débitos que nem compensa mais retirar de lá e os veículos vão a leilão”, criticou.