Prefeito Salame participa de Sessão na Câmara Municipal

Gestor veio prestigiar primeira sessão do semestre e apresentar relatório de obras que estão em execução na cidade

As sessões ordinárias na Câmara Municipal de Marabá reiniciaram nesta terça-feira, 5 de agosto, e o prefeito João Salame – cumprindo ritual de alguns anos – participou da abertura dos trabalhos e aproveitou a ocasião para entregar um portfólio fotográfico aos vereadores com o resumo de várias obras que estão em execução na cidade atualmente.

A abertura da sessão foi conduzida pela presidente Júlia Rosa, que saudou os membros da comunidade que foram à sede do Poder Legislativo e também parabenizou o gestor municipal por manter uma relação de respeito para com os vereadores.

Primeiro a fazer uso da palavra, Salame fez questão de informar que até agora já pagou R$ 54 milhões de dívidas deixadas pela administração anterior, numa média de R$ 3,3 milhões por mês e R$ 100 mil por dia. Disse que melhorou arrecadação do município, ampliou convênios com o governo federal e que apenas as obras da Grota Criminosa recebem R$ 58 milhões do governo federal, sendo R$ 8 milhões da Prefeitura.

O prefeito também destacou o asfaltamento de várias ruas e explicou que as obras da Grota do Aeroporto estão paralisadas porque requer R$ 98 milhões de contrapartida do município. “Para não perder a verba, dei ordem de serviço e fui correr atrás de mais recursos. Consegui R$ 53 milhões do PAC, o que fez contrapartida diminuir para a casa de R$ 40 milhões para a PMM. Depois, conseguimos reduzir para R$ 20 milhões com financiamento do Ministério das Cidades. Por enquanto, não temos condições de entrar com contrapartida e vamos colocar recursos próprios no final da obra, provavelmente no verão de 2016, talvez com ajuda do governo do Estado ou financiamento público. Não podemos perder essa obra, porque ela vai mudar a cara do município”, argumentou.

Mas o gestor argumentou também que há outras frentes de trabalho que não necessariamente asfalto, como construção de escolas e convidou os vereadores para visitar e fiscalizar cada uma delas, garantindo que nas próximas semanas outras obras serão iniciadas. Ao final, ele desejou uma legislatura produtiva aos vereadores e disse que está aberto a críticas e sugestões.

Vários vereadores se manifestaram na fala do prefeito e reconheceram que a cidade se transformou em um canteiro de obras, principalmente com asfalto de várias vias. Vanda Américo, por outro lado, cobrou o prefeito a demora do Executivo para enviar a LDO (Lei De Diretrizes Orçamentárias) e cobrou visita dos vereadores às obras, como o gestor havia prometido para que possam fiscalizar.

Vanda também pediu ao gestor que retire de pauta da Câmara um projeto de lei que muda a condição da Fundação Casa da Cultura de Marabá, tirando-a da condição de autarquia e deixando-a subordinada à Secretaria de Cultura.

A vereadora Antônia Carvalho, a Toinha do PT, pediu ao prefeito que intervenha na negociação para acabar com a greve dos rodoviários em Marabá, porque não está havendo negociação entre donos da empresa Nasson Transportes e motoristas e cobradores, deixando os usuários do serviço prejudicados.

O vereador Guido Mutran concordou com Toinha e disse acreditar que ainda há monopólio do transporte público em Marabá e que as empresas estão querendo forçar um reajuste que prejudique a população. “O resultado da CPI do Transporte vai nos ajudar a quebrar esse monopólio”, garantiu.

O vereador Coronel Araújo parabenizou o prefeito pela entrega do relatório das obras em Marabá e reconheceu que elas têm um grande valor porque vão trazer melhoria na qualidade de vida para a comunidade. “A saúde vai ficar no ponto ideal a médio e curto prazo. Queria pedir ao senhor prefeito que olhasse com cuidado o Departamento de Trânsito (DMTU), pois está passando por um problema de gestão e alguns agentes estão se sentindo soltos e fazendo algumas besteiras”.

Ao final da sessão, o prefeito usou da palavra novamente e fez os esclarecimentos dos questionamentos apresentados pelos vereadores e se comprometeu avaliar outras situações citadas que apontam para problemas em alguns órgãos da Prefeitura de Marabá.