Projeto Ciranda Verde é discutido na Câmara

Vereador Ilker Moraes apresenta projeto que busca a arborização da cidade de Marabá

A emblemática data de 11 de setembro foi escolhida para uma discussão ampla pela vida. E a arborização urbana de Marabá foi o assunto principal no Dia D da mobilização municipal em prol das árvores, ocorrida nesta sexta-feira, no Plenarinho da Câmara Municipal.

Um grupo de entusiastas da ideia apresentou o projeto Ciranda Verde, que consiste em promover discussões sobre modelos urbanos sustentáveis para garantir qualidade de vida às pessoas e à natureza. A primeira discussão reuniu vereadores, secretário municipal de Meio Ambiente, educadores e estudantes.

André Vianello, coordenador do projeto, adiantou que no dia 19 deste mês será realizado um plantio piloto de mudas na Agrópolis do Incra. “Essa iniciativa é popular e pretendemos cobrar das autoridades os recursos garantidos por lei no Plano Diretor do município”, observou.

O vereador Ilker Moraes apresentou aos participantes do encontro uma síntese de seu Ante Projeto de Lei para elaboração do Plano Municipal de Arborização Urbana apresentado na Câmara Municipal no final de agosto e nele sugere a elaboração de um manual de orientação técnica para que as pessoas não saiam por aí plantando qualquer espécie ou em locais inadequados.

Moraes também cobrou a inclusão da disciplina de educação ambiental nas escolas públicas do município para que os estudantes possam discutir e se engajarem em ações positivas para melhoria do meio ambiente.

Representando a 23ª Brigada de Infantaria de Selva, o capitão Charles Bittencourt elogiou o denominou de “iniciativa embrionária” e destacou que o Exército tem cumprido integralmente seu lema de “braço forte mão amiga” ao cuidar da soberania nacional e, ao mesmo tempo, em Marabá, apoiar projetos que contribuem com a melhoria da qualidade de vida da comunidade. Na questão ambiental, tem se colocado à disposição da Semma e Seagri para deslanchar ações de plantio de mudas em vários locais da cidade. “Precisamos sensibilizar as gerações futuras com ações que tomarmos agora”, pontuou.

 

O secretário municipal de Meio Ambiente, Carlos Brito, também esteve presente e disse que é muito importante que o município tenha um Plano de Arborização Urbana, já que, por meio do planejamento, são feitos estudos técnicos das áreas a receberem plantio, quais espécies são mais adequadas e também os cuidados que as árvores necessitam para florescer e crescer.

“Uma das coisas mais importantes é definir quais os tipos de árvores e fomentar na população esse desejo de que cada um faça sua parte na questão de arborização para que a gente consiga melhorar a nossa qualidade de vida como um todo”, avaliou.

Ainda segundo Carlos Brito, o corte de árvores é considerado crime ambiental e passível de multa. “Qualquer interferência na vegetação urbana ou rural depende de prévia avaliação da Secretaria de Meio Ambiente”, explicou, acrescentando que a população deve procurar a Semma para solicitar uma vistoria e, a partir dela, os técnicos informam qual o melhor procedimento. Quando há interferência na rede elétrica, a Semma emite uma autorização que deve ser entregue à Celpa para que a companhia envie uma equipe que realize a poda da árvore.