Ruas danificadas pela Cosanpa voltam à pauta de discussão na Câmara

Vereadores querem que prefeitura seja mais rigorosa na fiscalização das obras em execução na cidade

Entre os temas discutidos na sessão desta quarta-feira, 18, na Câmara Municipal de Marabá, vários vereadores mostraram preocupação com os serviços de instalação da rede de esgoto em várias ruas da cidade, de responsabilidade da Cosanpa (Companhia de Saneamento do Pará), mas que estão sendo executados pela CMT Engenharia.

O assunto foi levantado pela vereadora Irismar Araújo, que reclamou da demora da CMT em fechar os buracos que abre e, ainda, da qualidade do serviço, mesmo depois de concluído, o que tem gerado queixas de centenas de moradores.

O vereador José Sidney questionou a quem se deve formalizar uma denúncia contra a Cosanpa, que está cavando buracos e não tapa, deixando uma bagunça nas ruas da cidade, principalmente nos bairros Novo Horizonte e Belo Horizonte. Ele denunciou que até mesmo nas ruas recentemente asfaltadas pela Prefeitura foram abertos buracos e até agora a empresa não fechou.

Vanda Américo e Coronel Araújo informaram que presenciaram o prefeito e o presidente da Cosanpa falando sobre as ruas que estão em obras e a Companhia de Saneamento se responsabilizou por passar à Prefeitura com antecedência o cronograma de obras com os nomes das ruas.

Irismar lembrou que a Câmara chegou a realizar audiência pública com a Cosanpa, CMT e Prefeitura e algumas outras entidades para discutir o assunto e reconheceu que, conforme provérbio popular, “não se faz omelete sem quebrar o ovos”, mas as vasilhas têm de ser limpas logo em seguida. Neste caso, as ruas precisam ficar em boas condições de trafegabilidade.

Irismar ressaltou que a CMT está colocando piche, mas o trabalho não fica da forma que era anteriormente. É preciso cobrar da prefeitura a responsabilidade de acompanhar e exigir a eficiência da empresa.

O vereador Leodato Marques disse que, em relação à Cosanpa, “essa farra vai terminar”. Ele antecipou que vai apresentar um Projeto de Lei na Câmara – a exemplo do que já existe em Araguaína - para regulamentar sobre obras de água e esgoto que estão ou venham a ser executadas em Marabá.