Secretaria de saúde vai atender emendas de vereadores com ambulâncias traçadas

Secretário municipal de Saúde, Marcones José Santos da Silva, garantiu que a Prefeitura vai atender as emendas impositivas e adquirir ambulâncias traçadas para zona rural

Durante reunião com vereadores na Câmara Municipal de Marabá, no final da tarde desta terça-feira, dia 20, o secretário municipal de Saúde, Marcones José Santos da Silva garantiu que a Prefeitura vai atender as emendas impositivas e adquirir, em apenas um lote, as ambulâncias traçadas que foram solicitadas para várias comunidades da zona rural.

Marcones está no cargo há menos de dois meses e veio à Câmara Municipal na tarde desta terça-feira, dia 21, para dialogar com os vereadores sobre vários temas relacionados à saúde do município. Ele veio acompanhado das enfermeiras Dármina Duarte e Camila Lopes, diretora de Média e Alta Complexidade e da Atenção Básica da SMS.

A reunião foi solicitada pela Comissão de Saúde da Câmara Municipal, presidida pela vereadora Priscila Veloso, que conduziu as discussões, ocorridas na Sala de Comissões do Poder Legislativo.

Além da presidente, os vereadores Cristina Mutran, Cabo Rodrigo, Pedro Corrêa, Mariozan Quintão, Gilson Dias, Alecio Stringari, Nonato Dourado e Tiago Koch também fizeram questionamentos, que foram respondidos pelo secretário Marcones e equipe.

Marcones lembrou que desde o final do ano passado as cirurgias eletivas foram retomadas pela gestão municipal, depois de oito anos paralisadas. Havia uma fila com cerca de 9.000 pessoas aguardando com seus processos devidamente guardados na sede da SMS. “A ordem do prefeito Tião Miranda é zerar a fila das eletivas. Estamos fazendo o que podemos, mas há alguns entraves para encontrar as pessoas”, ressalta ele.

Segundo o secretário Marcones, as cirurgias de cataratas estão sendo realizadas normalmente e lamenta que haja carência de centros cirúrgicos em Marabá com estrutura para atender a grande demanda existente nessa área.

Atualmente todos os centros de saúde estão interligados com a regulação, que recebe a demanda e imediatamente efetiva o cadastro no Sistema Nacional de Regulação (SISREG). “No início demos prioridade aos pacientes que tinham menos complicações, pacientes abaixo de 40 anos e hoje estamos buscando os demais pacientes”, explicou Dármina.

A enfermeira explica que as eletivas estão sendo realizadas no HMM, HMI e Hospital Santa Terezinha (privado), com vários procedimentos diferentes: ginecológicas, laqueaduras, histerectomia, vasectomia, entre outras. “A fila que se formou ao longo dos anos é muito grande. Há dificuldade em achar as pessoas que aguardam por essas cirurgias. Temos telefones exclusivos para entrar em contato com os pacientes. De cada 10 ligações, conseguimos encontrar três pacientes, o que acaba retardando um pouco a realização do procedimento, que envolve avaliação e exames pré-operatórios”, conta a enfermeira.

Outra demanda apontada pelos vereadores é em relação às ambulâncias traçadas para atender comunidades da zona rural, a partir de emendas impositivas. Marcones esclareceu que o prefeito Tião Miranda garantiu que vai atender a todas elas e que serão adquiridas em lote, numa mesma licitação. “Reconheço que a frota atual de ambulâncias está defasada, inclusive para a zona rural”, disse o secretário.

O presidente da Câmara, Pedro Corrêa, elogiou a gestão municipal por ter, finalmente, resolvido um problema crônico e antigo, que era a aquisição do arco cirúrgico, um equipamento de raio-x no qual é possível produzir imagens em tempo real através de geração de imagens digitais.

Através deste equipamento, explicou Dármina Duarte, é possível a elaboração de diagnósticos por imagem instantânea, sendo a solução mais eficaz atualmente nos centros cirúrgicos, apresentando excelência na qualidade das imagens com baixa dose de radiação.

CASA DE APOIO

Sobre a necessidade de uma casa de apoio em Belém, para atender pacientes em tratamento de câncer, conforme enfatizado pela vereadora Priscila Veloso, Marcones Santos reconhece que tão logo assumiu o cargo, detectou essa carência e foi entender como é a rotina de atendimento na Capital e se convenceu que essa estrutura tem de ser instalada. “Fizemos estudo do tipo de imóvel, material humano necessário e vamos garantir esse serviço em breve”, garantiu.

Em relação à instalação de um terceiro mamógrafo na rede municipal, revelou que a Secretaria de Saúde pretende implantá-lo, mas que a intenção do governo é retirar a UBS (Unidade Básica de Saúde) do Crismu, na Folha 33, para que ele seja de fato um centro de referência exclusivo à saúde da mulher. Para isso, está procurando um imóvel no mesmo bairro para transferir a UBS, retirando inclusive o mamógrafo existente no HMM e centralizar esse serviço na Folha 33.

ATENÇÃO BÁSICA

Na Atenção Básica, a enfermeira Camila explicou que todas as unidades de saúde realizam diariamente exames de PCCU e que nos pontos de da zona rural, eles ocorrerem em regime de escala. “Atualmente, temos 42 equipes de Estratégia de Saúde da Família, que estão funcionando de acordo com as normas do Ministério da Saúde, inclusive na zona rural”, sustentou Camila.

Marcones Santos destacou, depois de indagado por vereadores, que a gestão municipal decidiu reformar todos os postos de saúde, diante de uma demanda do Ministério Público Estadual, comunidade e da própria Secretaria de Saúde, mas que a ordem da execução está sendo definida ainda.