Secretário de Cultura expõe planejamento para Festejo Junino e Veraneio

Câmara recebe José Scherer, que apresenta planejamento estratégico da Secretaria de Cultura

Em agenda previamente marcada pela Mesa Diretora da Câmara Municipal de Marabá, o secretário municipal de Cultura, José Scherer, reuniu-se com um grupo de vereadores na Sala das Comissões da Câmara Municipal para apresentação do planejamento estratégico das ações da pasta para o quadriênio 2017-2020, com ênfase no Veraneio e Festejo Junino.
A reunião aconteceu na tarde da última segunda-feira, 13 de junho, e teve início às 17 horas. O presidente da Câmara, Pedro Corrêa, deu início à reunião e disse que a mesma foi motivada por um ofício que a Presidência enviou para a Secretaria, para apresentação de suas ações.
José Scherer disse que recebeu a Secretaria de Cultura de Marabá em estado adormecido e ninguém respondia por nada na pasta. Não havia nada funcionando, tudo espalhado entre biblioteca Orlando Lobo e Cine Marrocos. “ A maior missão é organizar, nesse primeiro momento, o verão em Marabá e o Festo Junino. Já fechamos, praticamente, tudo para a quadra junina”, garantiu.
Sobre a programação de veraneio, Scherer foi mais comedido. Disse que é preciso analisar a situação financeira da prefeitura para fazer grandes investimentos. Ele enfatizou que a festa junina será uma das maiores que já houve em Marabá e que não irão realizar grandes eventos na praia. “Na Toca do Manduquinha terá um movimento patrocinado pela Rede Correio e pelo bar Maverick, que patrocinaram as bandas e a Secretaria de Cultura entrará com palco e iluminação. Já na praia daremos ênfase na conscientização sobre o lixo”, explicou.
Scherer também noticiou que a Secretária está sediada numa sala no Cine Marrocos e que a Biblioteca Orlando Lobo está em fase final de reforma. “A Cultura tem vários projetos interessantes que estão adormecidos e vamos reavivá-los”.
Melquiades Justiniano, que está lotado na Secretaria de Cultura, acompanhou José Scherer e informou que vai somar forças com o titular da pasta para fortalecer o movimento cultural em Marabá. “Fui cedido da educação para a cultura e trabalharei à frente de alguns projetos específicos”, conta.
Melquiades entende que algumas ações emergenciais têm de ser garantidas, afim de que o processo tenha andamento. Para ele, é necessário compor com a Secretaria de Educação para garantir o desenvolvimento da programação da Semana da Pátria de 2017.
Justiniano colocou ainda que está agendando algumas parceiras para a maior festa religiosa de Marabá, o Círio. “Este ano ficaremos com três palcos soba nossa coordenação. Estamos correndo atrás da agenda de Fafá de Belém e uma cantora lírica para virem a Marabá”.
Melquiades foi designado pelo secretário Scherer para coordenar as ações do Cine Marrocos. “Os projetos socioeducativos serão reativados, e um novo projeto também será concebido. Mas iremos falar quando estiver tudo resolvido”, disse Justiniano. 
O vereador Marcelo Alves perguntou quando a Biblioteca orlando Lobro voltará a funcionar. O vereador disse que cerca de 10 mil pessoas passaram por lá no ano passado e o local transformou-se em um centro de pesquisa que precisa ser reativado. Ele pediu que não se invista apenas na Praia do Tucunaré e Geladinho durante o Veraneio, mas também em outro balneário muito conhecido e popular, que é o Vavazão.
Ilker Moraes colocou ponderou que, pelo fato de o ano estar pela metade, não se pode exigir muito sobre as questões culturais e realização de eventos, pela dificuldade que foi esse início de ano na cidade. Para ele, é importante que se busque recurso em Brasília para serem investidos no ano que vem, para reavivar alguns projetos que estão adormecidos, como o Fecam, Carnaval e Maraluar. “O governo deveria fazer algo nesse sentido, de buscar uma parceria público-privada para a realização de eventos de médio e grande porte na cidade”, disse Moraes.
Cabo Rodrigo disse que a atual gestão tem capacidade de resgatar a cultura em Marabá e questionou quais os aspectos que podem ser valorizados pela população e as expressões culturais que estão sendo realizadas para valorizar o turismo na cidade.
Scherer lembrou que Marabá já teve grandes eventos, mas que sempre dependeram de quem está no comando. “Nossa cidade já recebeu excelentes manifestações culturais. E existe uma sinalização do prefeito pra reativar os movimentos culturais que movimentam muitas pessoas”.
O secretário frisou a necessidade de ter um calendário cultural na cidade. “Queremos levar 20 mil pessoas para a quadrilha. A biblioteca será inaugurada em meados do mês de julho e faremos divulgação com antecedência”.
O vereador Márcio do São Félix argumentou que é preciso valorizar outras manifestações culturais, como os quilombolas e a Festa do Divino, transformando-as em patrimônio cultural da cidade”.
O presidente da Câmara, Pedro Corrêa, disse que na gestão anterior foram realizadas várias reuniões com o setor turístico e se ouviu muito sobre a falta de estrutura e condições mínimas de receber os turistas. “Nos últimos anos, os setores de turismo, esporte e lazer foram definhando, e praticamente não se desenvolveram. Não foi dada importância para essas secretarias. É preciso o trabalho em conjunto das três. Precisamos de um planejamento de trabalho que possa contemplar as necessidades da cidade. É vergonhoso comparar a quantidades de eventos que tínhamos e não existem mais”, desabafou o presidente.
O presidente sugeriu a realização de um levantamento geral dos eventos em Marabá, citando exemplos como o encontro dos motoqueiros, festa náutica, aniversário da cidade, carnaval, passeio de caiaque, entre outros. Corrêa reconheceu que a Expoama é um dos principais eventos da cidade e o poder público, às vezes, se exime de contribuir. “Fui até o prefeito e conseguimos o apoio municipal à Expoama. Muitas vezes não há necessidade de investir muito dinheiro. É preciso firmar parceria com a iniciativa privada, com a prefeitura entrando com o apoio”.
Para a vereadora Priscila Veloso, a educação e cultura devem caminhar juntas. “É preciso programar a descentralização de eventos para outros bairros da cidade, com a participação da comunidade. Além disso, é necessário englobar o movimento gospel no calendário da cultura, pois este segmento é muito grande em Marabá.
Os vereadores presentes à reunião foram Marcelo Alves, Ilker Morais, Pedro Corrêa, Márcio do São Félix, Cabo Rodrigo, Edinaldo Machado e Priscila Veloso.