Secretário Fábio Moreira fala do andamento de obras em Marabá

Titular da SEVOP responde a vários questionamentos de vereadores em reunião realizada nesta terça-feira

Na tarde desta terça-feira, 7 de maio, o secretário de Obras do município de Marabá, Fábio Moreira, esteve na Câmara Municipal para prestar esclarecimentos sobre obras públicas s que estão paralisadas, as razões e o cronograma físico e financeiro da execução das mesmas.

O vereador Nonato Dourado, presidente da Comissão de Obras da Câmara, justificou a reunião pelas dúvidas que muitos vereadores têm em relação às obras paralisadas, já que o verão está começando e é o momento propício para realizá-las.

Fábio Moreira começou pela pavimentação do Bairro São Félix, que segundo ele será finalizada neste verão, garantindo que todas as obras foram paralisadas no inverno serão finalizadas nos próximos meses.

Moreira informou que as obras estão em andamento mais acelerado do que a planilha mostrada para os vereadores na reunião, visto que o levantamento apresentado aponta o que foi pago e não o estágio atual da obra.

Falou de obras de pavimentação do Geladinho, Lar São Vicente de Paulo, convênio com a Caixa Econômica Federal para água e esgoto e a mineradora Vale para pavimentação de vias na cidade.

Em relação ao Mercado de Morada Nova, acredita que será entregue este ano. Revelou que estão construindo a sede do Procon usando dinheiro recebido com as multas aplicadas contra a Celpa.

Indagado pelos vereadores sobre a reforma da Praça São Francisco, informou que será feita a recuperação dos brinquedos e academia ao ar livre. Sobre as paradas de ônibus, Moreira destacou que estão procurando reformar e realizar o recuo onde for possível, para melhorar o atendimento à população. “As dos supermercados Líder e Atacadão já estão em execução”. Ele ainda destacou que no Palacete Augusto Dias, antiga sede da Câmara Municipal, será feito o fechamento com muro para garantir maior segurança para o prédio e os utensílios que serão colocados ali. “Já está adiantado mais um convênio com a Vale para o mobiliário do Palacete”.

O vereador Marcelo Alves sugeriu que esse tipo de reunião aconteça mais vezes para trazer maiores informações referentes às obras em execução no município. Questionou como a PMM está planejando utilizar os R$ 32 milhões aprovados junto ao Banco do Brasil, e quando irão começar as obras.

Ilker Moraes questionou o que será feito com a escola Magalhães Barata, que está desativada no prédio localizado na Velha Marabá. O vereador ainda perguntou sobre a situação dos conjuntos habitacionais Magalhães 1 e 2, cujas obras estão paralisadas.

Mariozan Quintão indagou sobre o andamento do projeto dos 1.500 metros de asfalto e de construção de uma praça na Vila Santa Fé.

Fábio justificou que na Vila Santa Fé será colocado o asfalto neste verão. Já sobre a praça, disse que não tem maiores informações sobre sua edificação. Ele ainda informou ao vereador Ilker que a reforma na Escola Magalhães Barata foi concluída e que vai verificar qual será a destinação do prédio.

Sobre o Residencial Magalhães Barata, disse que não é uma obra municipal. “Foi me falado, informalmente, que o contrato será revogado com a empresa vencedora e será feito o chamamento para a continuidade da obra”.

Em relação ao empréstimo junto ao Banco do Brasil, o secretário disse que está no momento de definição sobre quais as ruas serão asfaltadas, mas que está encaminhado. “Acredito que ainda dê para começar alguma coisa com esse recurso este ano”.

Cabo Rodrigo questionou sobre o projeto de asfalto do lote 3, que abrange a Folha 6, se já perspectiva de obras para Morada Nova e pediu a construção de uma ponte entre as Folhas 13 e 14, na Nova Marabá.

Em tom de cobrança, Badeco do Gérson solicitou que seja dado maior apoio à zona rural, citando as comunidades Quatro Bocas e o Macaco Careca. “A Prefeitura precisa dar apoio à essas comunidades. A estrada está lamentável. É preciso colocar aterro e terraplanagem das Quatro Bocas ao Macaco Careca. Estão prejudicando inclusive os alunos”, lamentou.

Fábio respondeu que é preciso analisar com cuidado as necessidades entre as vilas Macaco careca e Quatro Bocas, resolvendo o que for possível.

Em relação à sugestão de construção de ponte na Nova Marabá, Fábio Moreira disse que esse projeto não evoluiu e na Folha 6, não sabe se haverá recurso para a realização da obra.