Sessão Solene homenageia 20 mulheres de Marabá

Cerimônia pelo transcurso do Dia Internacional da Mulher é marcada por reflexões, palestras, músicas e poesia

Discursos voltados para a reflexão dos avanços nos direitos da mulher, palestras motivacionais, músicas e poesias marcaram a Sessão Solene do Dia Internacional da Mulher realizada pela Câmara Municipal de Marabá na manhã desta terça-feira, 10 de março.

Logo na abertura, o presidente da Casa, Miguel Gomes Filho, o Miguelito, surpreendeu a todos modificando a direção e a composição da Mesa Diretora que dirigiu os trabalhos. Miguelito usou de suas atribuições e deliberou que as quatro vereadoras de Marabá conduzissem o evento. Vanda Américo, Antônia de Araújo Albuquerque, a Toinha do PT, Irmã Nazaré e Irismar Araújo, nessa ordem, presidiram a sessão pelo tempo de 30 minutos cada. Miguelito afirmou da importância da sessão, que faz parte do calendário oficial do Legislativo, que homenageia mulheres que têm relevantes serviços prestados a Marabá, nas mais diversas áreas, com contribuições valorosas a sociedade.

Primeira a usar da palavra, a vereadora com mais tempo de atuação no parlamento Municipal, Vanda Américo, disse que é importante que as conquistas do universo feminino continuem, e não estagnem. Lembrou que as comendas oferecidas pela Câmara, tanto a “Mirian Chaves” como a “Beta Moreira”, representam mulheres que tiveram atuações determinantes para o avanço social em Marabá, principalmente no que diz respeito à quebra de preconceitos e politização das mulheres.

Toinha do PT lembrou da campanha da fraternidade da Igreja Católica, que colocou homens e mulheres como a imagem de Deus, sendo iguais perante o Senhor. Contudo, para ela, não se pode negar a violência que as mulheres sofrem ainda hoje. “Quando as mulheres fizeram todas as manifestações que culminaram com o Dia Internacional da Mulher as coisas começaram a mudar. Não é fruto apenas de uma manifestação simbólica. Nossa sociedade é extremamente machista. Ainda temos muitas companheiras que sofrem com esse machismo. Muitas mulheres têm vergonha de falar da violência que sofrem em casa ou na sociedade de uma forma geral”, afirmou a vereadora. Para Toinha, é dever de todos, inclusive das mães, educar os filhos para uma sociedade igualitária, e não machista.

 

Irmã Nazaré declarou que as homenagens às mulheres devem ser durante todo o ano, e não apenas em data comemorativa. “Muitos homens não compreendem que as mulheres devem estar lado a lado dos esposos, e não embaixo dos pés”, alfinetou.

 

Irismar Araújo Melo, que além de vereadora e presidente do Fórum Nacional da Mulher, falou do valor da mulher na sociedade moderna, lembrou a representatividade da mulher na sociedade brasileira, com ênfase no campo político onde, segundo ela, a participação feminina ainda é muito discreta. “Em todas as instâncias nós representamos 9%; nos parlamentos municipais representamos 13,75%. Como presidente do Fórum Nacional da Mulher, estamos numa luta para ampliarmos o espaço político feminino no Brasil”.

Catarina Kátia do Socorro Rodrigues Gomes, da União Brasileira de Mulheres de Marabá, disse que a atuação dos movimentos de mulheres tenta conscientizar os homens para entender a necessidade de se melhorar a sociedade, em um sistema machista, que discrimina o negro, o trabalhador, a mulher e homossexual. “Temos de acabar com esse preconceito, de que mulher é o sexo frágil. Precisamos ter inteligência e a sabedoria de lutar. Queremos mais mulheres na Câmara de Vereadores, juízas, delegadas, precisamos estar em todos os lugares da sociedade”, argumentou Kátia.

A convite da Câmara, Maria Luzineuza Maia, educadora e analista e gestora de projetos do Sebrae, proferiu palestra sobre empreendedorismo feminino e mostrou que 68% das mulheres na região Norte usam a Internet, um percentual menor que em outras regiões do País, mas considera que já houve um avanço. “A mulher brasileira é uma das que mais empreendem no mundo. 52% dos empreendedores no Brasil são mulheres. Elas preferem negócios como beleza, alimentação moda e estética”, explicou.

Representando o prefeito municipal, o vice-prefeito Luiz Carlos Pies frisou sobre a necessidade e o desafio de se buscar maior igualdade de gênero. “Hoje é dia de festejar os avanços e conquistas, mas também de refletir sobre os desafios que ainda existem. Há 25 mulheres governando os países, inclusive no Brasil. No Pará, há poucos deputados federais, senadoras, e por isso elas precisam ocupar mais espaços”, disse o vice-prefeito, que também lembrou os avanços ocorridos durante os últimos 12 anos.

Após o pronunciamento de todos, os vereadores se reuniram para a entrega de comendas aos homenageados, com o plenário cheio, em sua maioria por mulheres, uma a uma as condecorações foram entregues. Todas as 20 mulheres homenageadas tiveram seus nomes aceitos pela unanimidade dos vereadores. Ao ser indicado, caso houvesse algum voto contrário, o nome seria rejeitado.