Sindimepa preocupado com plantões médicos no HMM

Vereadores reconhecem que atendimento na emergência pode melhorar

 

Em reunião com vereadores na Câmara Municipal, nesta quinta-feira, 3, dois membros da diretoria do Sindicato dos Médicos do Estado do Pará (Sindimepa) mostraram preocupação com as queixas recebidas e relacionadas à falta de médicos nos plantões no Hospital Municipal de Marabá (HMM).

João Fonseca Gouveia e Waldir Araújo Cardoso, ambos da diretoria colegiada do Sindimepa, se reuniram na Sala de Comissões da Câmara com os vereadores Júlia Rosa, presidente, Irismar Araújo, vice-presidente; Vanda Américo, Pedro Correa e Miguel Gomes Filhos, os dois últimos membros da Comissão de Saúde da Câmara.

Gouveia e Waldir disseram que o sindicato, embora exista para defender os direitos dos médicos, não compactua com situações que configurem omissão, como tem sido denunciado ao Sindimepa. “Temos recebido reclamações de falta e saída dos plantões. Esta última, é pior ainda, porque trata-se de um problema de conduta errada. Abandono de plantão é crime e deve ser punido”, advertiu.

Por outro lado, Waldir reconheceu que o município precisa dar mais atenção à atenção básica para que os problemas de saúde não se avolumem no HMM. A atenção básica em Marabá é quase zerada. Mas nem tudo está perdido. Segundo ele, a Secretaria de Estado de Saúde Pública baixou um decreto no dia 1º deste mês para repassar mais recursos como incentivo para que os municípios do Estado passem a cuidar mais da Atenção Básica, evitando que as pessoas adoeçam.

Walldir disse que os representantes do Sindimepa se reuniram esta semana com vários médicos do HMM e perceberam que há conflitos internos gerados por problemas de gestão, o que acaba acirrando disputas, que não deveriam ocorrer.

A vereadora Júlia Rosa reconheceu que a conduta de alguns médicos no Hospital Municipal tem sido inadequada e viciada, porque o tempo de repouso é maior do que o de trabalho no atendimento aos pacientes. Todavia, destacou que também há bons profissionais no HMM e que eles precisam ser reconhecidos por isso.

A vereadora Vanda Américo lamentou que o município não queira resolver o problema de saúde da comunidade e apontou a falta de convênio com o Hospital Santa Terezinha, o que poderia desafogar o HMM e o Hospital Materno Infantil.

A vereadora Irismar destacou que as queixas de mau atendimento no HMM são constantes e que ela já presenciou, pessoalmente, médicos dormindo no meio da madrugada enquanto pacientes aguardavam por atendimento na emergência.

O vereador Pedro Correa também se mostrou preocupado com a situação da saúde no município e ponderou que é preciso um maior esforço da administração municipal para fazer funcionar o Centro de Especialidades na Nova Marabá, UPA (Unidade de Pronto Atendimento) no bairro Amapá, o que ajudará a descongestionar o Hospital Municipal. “Prometeram construir três UPAS, mas até agora nem a que já estava em andamento conseguiram inaugurar”, lamentou.