Tião Miranda veio à Câmara falar sobre andamento de obras

Ele também explicou o projeto que pede autorização para empréstimo de R$ 34 milhões para asfalto na cidade

Por mais de duas horas, no final da tarde desta quarta-feira, dia 14, o prefeito Tião Miranda, de Marabá, discutiu com os vereadores da Câmara Municipal de Marabá sobre obras já executadas e outras que estão em andamento na cidade. A reunião aconteceu na Sala de Comissões do Poder Legislativo e o grande objetivo do gestor era sensibilizar os vereadores para chancelarem um empréstimo que ele pretende fazer para asfaltar diversas ruas da cidade e da zona rural.

No valor de R$ 34 milhões, o empréstimo deverá, caso aprovado pela Câmara, ser contraído junto ao Banco do Brasil, com amortização prevista para 96 meses e carência de um ano para começar a pagar. “Acredito que a burocracia no Banco do Brasil não seja tão grande como é na Caixa Econômica, porque eles não têm tanta demanda dessa natureza para entes públicos aqui na região”, disse o prefeito, respondendo a um dos vereadores.
Em determinado momento da reunião, um vereador quis saber quantos quilômetros de asfalto a Prefeitura já executou em quase dois anos de mandato, mas Tião saiu pela tangente e percebeu uma tentativa de comparação com a gestão anterior, que prometeu 500 km de asfalto e criou grande polêmica sobre o assunto. “Não estamos focados em quantidade, exatamente, e nem tenho esses números para fornecer, de cabeça. Nossa intenção é pavimentar o máximo de ruas possível na maior diversidade de bairros, beneficiando a população. Tudo que fazemos parece pouco, porque há muitos problemas nos bairros e nas ruas”, argumentou Miranda.
Acompanhado do secretário de Obras, Fábio Moreira, Tião foi interpelado sobre pavimentação em algumas ruas específicas, o entrave de algumas delas e o status do convênio entre Prefeitura e Caixa Econômica Federal, para obras de asfaltamento em Marabá, com empréstimo autorizado pela Câmara ainda na gestão de João Salame, entre outras obras.
Ele lamentou que obras oriundas de emendas parlamentares, às vezes, têm dificuldades para pagamento por demora para liberação dos recursos por parte do governo federal, sendo que a parte da PMM sempre é depositada em dia para as empreiteiras.
No convênio com a Caixa, no valor de R$ 50 milhões, ainda restam pouco mais de R$ 40 milhões e este foi dividido em 5 lotes entre empresas diferentes. “O Lote 1 está em execução pela Construfox e o Lote 2 é o que está mais avançado até agora”, explicou.
Mas o gestor também alertou que há problemas sérios de drenagem nas ruas da cidade, que acabam encarecendo muito as obras de asfaltamento.
Em relação ao Projeto Asfalto na Cidade, do governo estadual, explicou que foram priorizadas ruas que não precisavam de drenagem, porque o dinheiro era curto e não previa esse serviço, que é caro.
Saindo desse assunto, especificamente, o prefeito explicou a situação de várias obras de médio e grande porte que estão em andamento, como o Cine Teatro, na folha 16, cujo contrato foi rescindido com a empresa que ganhou a licitação, inicialmente, e será feito novo processo de seleção.
Em relação ao Centro de Esportes, ressalvou que a obra continua e não há recurso na conta. No caso da Grota Criminosa, disse que está na reta final e prevê que até março de 2019 ela seja concluída.
Também indagado pelos vereadores, o prefeito Tião Miranda falou sobre o Projeto da Grota do Aeroporto e avisou que ele é “complicadíssimo”, porque os bairros que os compõem são muitos e os canais naturais da água foram vedados por muitas pessoas que construíram casas. “Alguns casos deverão ser judicializados para tentarmos resolver o problema. Alguns muros serão derrubados. Estamos fazendo topografia para resolvermos os problemas existentes. Esse projeto da Grota do Aeroporto, como foi concebido inicialmente, o governo federal não tem recurso e o convênio está fadado a não prosperar”, lamentou, ressaltando que está resolvendo problemas de drenagem, abrindo canais que levem as águas até o Rio Itacaiunas.
O prefeito disse aos vereadores que utiliza 30% dos recursos próprios do município na área de saúde e que boa parte dos recursos da Cfem (Compensação Financeira pela Exploração de Recursos Minerais) está sendo utilizada para pagamento das cirurgias eletivas e outros serviços da saúde.
Tião informou que deverá iluminar o campo de futebol Del Cobra, na Santa Rosa, e outros de várzea em alguns bairros periféricos da cidade.
Mas um dos projetos que mais empolgaram o prefeito durante sua exposição aos vereadores é a urbanização do longo trecho urbano da Rodovia BR-155, entre a Rotatória do Km 6 a Ponte Rodoferroviária sobre o Rio Tocantins. “Será um projeto de iluminação arrojado com lâmpadas de Led, de 250 watts. Quando urbanizarmos essa área, a cidade ficará mais bonita”, prometeu.
Sobre a Praça do Km 7, reconheceu que ficou bonita e que agora está em processo de pregão eletrônico para aquisição dos móveis para poder inaugurar. “De todas as obras que estão em execução, colocamos à disposição de vocês, vereadores, a prestação de contas, porque cabe ao parlamentar fiscalizar”, reconheceu.
Todos os vereadores presentes se pronunciaram e reconheceram o esforço da administração atual em cuidar da cidade, não apenas por meio de realização de obras. Miguel Gomes Filho parabenizou o prefeito pela transparência e desejou que continue com força para tocar as obras que estão em andamento e as que ainda serão iniciadas. “Estou certo que a equipe da Sevop tem feito muitas obras pela cidade e continuaremos dispostos a apoiar. Concordo com liberação de empréstimo para asfalto na cidade porque confiamos nessa administração e também porque o município tem capacidade de endividamento”.
Marcelo Alves foi outro que antecipou seu voto de aprovação ao empréstimo de R$ 34 milhões junto ao Banco do Brasil, porque entende que a cidade tem grande carência nessa área.
Os vereadores, unanimemente, disseram ao prefeito que querem participar das discussões sobre as ruas que deverão ser beneficiadas com o asfalto por meio do novo empréstimo. No caso do vereador Mariozan Quintão, este defendeu asfalto para vias da zona rural e citou pelo menos duas vias na Vila Santa Fé que têm grande carência de pavimentação em função do fluxo de veículos.
Também participaram da reunião e fizeram vários questionamentos ao prefeito Tião Miranda os vereadores Pedro Corrêa (presidente), Cristina Mutran, Pastor Ronisteu, Cabo Rodrigo, Gilson Dias, Priscila Veloso, Mariozan Quintão, Irmão Morivaldo, Nonato Dourado e Edinaldo Machado.