Vereador aponta obras inacabadas e pede celeridade na conclusão

Pedro Correa diz que governo municipal precisa agir para dar resposta à sociedade

Ao final da sessão ordinária da última quarta-feira, 14, o vereador Pedro Correa Lima, o Pedrinho Correa (PTB) fez uma apresentação aos seus colegas parlamentares de um relatório de 16 obras do município que estão paralisadas e pediu ao governo para retomá-las o mais rápido possível, ressaltando que a comunidade aguarda para ser beneficiada por elas.

Ao apresentar o relatório, Pedrinho Correa explicou que ele é fruto da participação dos colegas Eloi Ribeiro (PRB), Beto Miranda (PSDB). Através de imagens exibidas no telão da Câmara, Pedrinho ia mostrando aos colegas o dilema de cada obra e cobrando do governo uma solução urgente. “Já se passaram oito meses e algumas dessas obras iniciaram há mais de cinco anos e nunca foram concluídas”, lamentou, reconhecendo que todas elas foram repassadas pela gestão anterior com algum tipo de problema.

Ele começou mostrando imagens de uma quadra esportiva na Folha 21, Nova Marabá, que foi iniciada há três anos e nunca foi concluída. Depois, passou para o Hospital Municipal, onde lamentou que o centro cirúrgico esteja fechado desde 2010, o que considera um acinte contra a comunidade como um todo, com algumas pessoas até mesmo perdendo a vida porque não tiveram a oportunidade de passar por uma cirurgia.

Em seguida, Pedro Correa passou para a obra do Estádio da Folha 16, iniciada na gestão de Sebastião Miranda, mas que depois acabou sendo transferido para o Km da Rodovia Transamazônica. Todavia, a primeira obra ficou nas fundações e esquecida. Ele disse que sugeriu ao governador Simão Jatene para que peça a área para o município para construir ali uma escola técnica.

A quarta obra paralisada é a do CAPS AD (Centro de Acompanhamento Psicossocial Álcool e Droga). O vereador lamenta que os entraves burocráticos impeçam a atual gestão de concluir a obra e disse que é preciso agir com celeridade para que esses problemas sejam solucionados e o espaço inaugurado e que as centenas de pacientes dessa área sejam atendidas.

Campeã de paralisação

De todas as obras municipais paralisadas, uma das mais emblemáticas é a da passarela em frente ao INSS, na Rodovia Transamazônica, que havia iniciado na gestão anterior, mas que chegou a paralisar seis vezes, a última já na atual administração. “O trânsito fica congestionado naquele perímetro no horário de pico e o risco de acidentes é iminente, principalmente envolvendo crianças que vão para a escola e idosos que procuram o INSS”, lembra Pedro Correa.

Ali ao lado, a obra da UPA (Unidade de Pronto Atendimento) também tem sua obra paralisada e espera para ser concluída. O secretário de Saúde, Nagib Mutran, informou esta semana que ganhou do Ministério da Saúde um prazo de um ano e meio para entregar a obra.

Vai ao chão

A Escola Cristo Rei, no Bairro Jardim União, que começou a ser construída há seis anos e nunca foi concluída, parece que tem mesmo uma cabeça de burro enterra no local. O vereador Pedro Correa mostrou fotos da obra que estão paralisadas e lamentou que o período de leniência fez com que salteadores roubassem parte dos materiais adquiridos com recursos públicos.

Em resposta sobre essa obra específica, o vereador Pedro Souza, líder do governo municipal na Câmara, informou que foi identificado um problema grave e insanável na fundação e um laudo preliminar aponta que ela terá de demolida para construir tudo do zero. “Perdeu-se tudo que foi construído”, lamentou Souza.

Outras obras paralisadas e apontadas pelo vereador Pedro Souza são o Estádio Municipal de Marabá, Campo do Parque São Jorge, Núcleo de Educação Infantil Marlúcia, na Folha 6, Nova Marabá; Mercado Municipal de Morada Nova; Ginásio Poliesportivo de Morada Nova; Escola Fé em Deus, em Morada Nova; Praça do Sonho, em São Félix; Escola Francisca de Oliveira, na Folha 34; e a escola Miriam Moreira, na Folha 7.

O vereador Ubirajara Sompré, presidente da Comissão de Educação da Câmara, mostrou-se preocupado com o tanto de obras de escolas paralisadas e pediu uma cópia do relatório para discutir o assunto na próxima reunião da comissão, agendada para o dia 22 deste mês.

O vereador Pedro Souza garantiu que as obras do HMM foram retomadas esta semana e que 26 funcionários estão trabalhando no local, assim como no NEI Marlúcia . Sobre o CAPS AD, argumentou que a prefeitura não tem como realizar obra agora porque há problema de medição que foi deixado pela gestão anterior e que está sendo avaliado como será solucionado o impasse.

Em relação à Escola Fé em Deus, disse que construíram o prédio em terreno que não é da Prefeitura e que o governo está analisando se faz desapropriação ou devolve a área para Associação de Moradores de Morada Nova. “A Semed vai entregar planilha das obras paralisadas à Câmara na próxima semana, inclusive com data para retomada de cada uma delas”, garantiu o líder do governo.