Vereador Guido denuncia malversação de recursos na gestão do ex-prefeito Maurino

Documentos revelam que um só veículo consumiu 1.200 litros de combustível em apenas um dia do final do governo

Durante sessão ordinária desta terça-feira, 30, o vereador Guido Mutran Júnior, o Guidinho, apresentou em Plenário da Câmara Municipal de Marabá um dossiê prévio do governo Maurino, em que revela, entre outras coisas, que o consumo fictício de combustível era muito grande na Secretaria Municipal de Obras.

Guido justificou que ao assumir o cargo de vereador, como suplente, cuidou de colher subsídios na prefeitura para confirmar, ou não, malversação de dinheiro público municipal. “Estamos mexendo na Secretaria de Obras e ainda vamos mexer na educação porque há suspeitas de que houve irregularidades construções, reformas, compras, entre outros fatos”.

Ele apontou também que em 2012 houve consumo fictício de combustíveis, principalmente óleo diesel, conforme planilha da Secretaria Municipal de Obras a que ele teve acesso. “Apenas por amostragem, podemos identificar que somente um veículo consumiu em apenas um dia mais de mil litros de óleo diesel, o que é um absurdo”, avalia.

Guido também revelou em relatório sucinto entregue a cada um dos vereadores que, mesmo quando os salários dos servidores estavam em atraso, em dezembro, o município pagou valores altíssimos à White Tratores, Serviços e Comércio Ltda (empresa de Canaã dos Carajás), pela suposta execução de serviços de terraplanagem. “No entanto, pelo montante pago, não conseguimos identificar onde foram efetuados os serviços de terraplanagem, pelo que, acredita-se, a totalidade ou parte dos serviços contratados tenham sido fictícios”, avalia.

Outros problemas apontados por Guido em relação ao governo de Salame dizem respeito à dívida de R$ 12 milhões com o Ipasemar; débito de R$ 72 milhões para com fornecedores do município; dívida com Vale-alimentação no valor de R$ 8,5 milhões; e R$ 79 mil com o VT Card.

A vereadora Vanda Américo parabenizou Guido pelas denúncias, mas ressalvou que ela e outros vereadores haviam feito praticamente as mesmas denúncias na legislatura passada, inclusive ao Ministério Público Estadual e Federal.

A vereadora Antônia Carvalho, a Toinha do PT, reconhece a gravidade das denúncias e diz que o Judiciário também é culpado pelos problemas, por não ter dado uma resposta a tempo para a sociedade em relação aos fatos que ela ajudou a denunciar, entre eles linhas fantasmas no transporte escolar municipal.

A vereadora Júlia Rosa, presidente da Câmara, considerou legítima a representação de Guido, mas ressalvou que nem todos os vereadores foram omissos na legislatura passada, tendo quatro vereadores tentado abrir duas CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito), mas que não houve posicionamento firme de todos os legisladores da época. “Esse Poder precisa ser mais atuante e os erros do passado não podem ser repetidos. Além disso, ele foi cassado por esta Câmara e isso não pode ser esquecido”, ressalvou.

No mesmo dia, Guido e a vereadora Vanda Américo foram ao Ministério Público Estadual, onde entregaram ao promotor Júlio César Costa, da 11ª Promotoria Cível da Comarca de Marabá, o dossiê contendo todas as informações levantadas até agora sobre o governo de Maurino Magalhães.