Vereador sugere criação de aplicativo para monitorar percurso dos ônibus

Sessão Especial na Câmara vai discutir nesta quarta-feira a precariedade do transporte coletivo

Na manhã desta quarta-feira, a partir de 9h30, a Câmara vai realizar uma Sessão Especial para discutir com os setores envolvidos a precariedade do transporte público coletivo no município.

Propositor da sessão, o vereador Adelmo Azevedo de Lima, o Adelmo do Sindicato, sugeriu a criação de um APP (aplicativo para celular) para que todos os usuários do transporte coletivo municipal possam monitorar o deslocamento do ônibus que pretende embarcar e saber sua localização exata em tempo real.

Adelmo lembrou que recentemente o prefeito João Salame autorizou o reajuste no valor da passagem, mas isso não refletiu na melhoria do serviço para a comunidade. Ele também reclamou o número muito baixo de paradas de ônibus – não chegam a 80 – e observou que em muitos bairros os usuários ficam esperando o ônibus no sol escaldante, ou então na chuva, no período do inverno.

Adelmo também observou que entre Morada Nova e Cidade Nova os passageiros têm de pegar dois transporte coletivos, gastando R$ 10,00 para ir e voltar ao destino final, valor que ele considera muito alto.  É preciso criar uma linha direta, pelo menos, entre Morada Nova e Liberdade”, pediu.

Os vereadores Vanda Américo e Pedro Correa informaram que se reuniram na última semana com a promotora do Consumidor, Aline Tavares, a qual ficou de marcar uma audiência pública com os atores envolvidos neste segmento para discutir várias questões, entre elas a implantação de novas linhas de ônibus enquanto não é construído o Terminal Integrado de Passageiros.

O vereador Guido Mutran lembrou que a área para construção do Terminal Integrado de Passageiros está sub júdice desde o governo Maurino porque um empresário local se apresentou como proprietário da mesma. “Precisamos resolver o problema dessa área porque as empresas que exploram o serviço de transporte coletivo se prontificaram a construir o terminal”, disse.