Vereadores criticam ausência da Semed e SMS e elogiam ações da Secretaria de Obras

Eles veem descaso de algumas secretarias com o chamamento da Câmara para a sessão na Vila Três Poderes

 

Os 14 vereadores presentes à sessão itinerante da Câmara Municipal de Marabá na Vila Três Poderes, nesta quarta-feira, 27, receberam muitas reclamações dos líderes comunitários em relação a três áreas do governo municipal: Obras, Educação e Saúde. Os legisladores ficaram irritados com a ausência dos secretários de Educação, Luiz Bressan, e de Saúde, Nagib Mutran Neto, que não compareceram – mesmo tendo sido convidados – e nem enviaram representante para a sessão. Ao mesmo tempo, elogiaram a presença do secretário de Obras, Antônio de Pádua, que ainda levou consigo outros três técnicos da Sevop.

Alécio Stringari, vereador residente na Vila Capistrano de Abreu, lamentou que nenhuma vila daquela região tenha ambulância e criticou lentidão da Secretaria de Saúde para solucionar o caso.

O vereador Guido Mutran disse entender que o governo anterior foi fracasso com a educação. Ele assumiu compromisso com a professora Maria da Conceição para ir em busca de solução para a escola Clara Nunes, que tem estrutura precária, com paredes e cobertura de palha. “A prefeitura tem de tomar medidas emergenciais”, advertiu Mutran, ao mesmo tempo em que elogiou o trabalho da Sevop, que ele considera a secretaria “mais séria ágil para solucionar problemas”.

O vereador Coronel Araújo também lamenta a falta de representantes da Semed e Secretaria de Saúde e disse que ao passar pela estrada do Rio Preto, percorrendo várias vilas, reconheceu que as demandas das comunidades são enormes e pediu socorro da gestão municipal para atender as questões mais cruciais nas áreas de saúde e educação.

A vereadora Vanda Américo foi outra que repudiou a ausência de representantes da saúde e educação. Ela considera que os secretários adjuntos deveriam estar presente, porque recebem para isso, para representar o secretário quando não puder estar presente. “Não cabe mais a desculpa de licitação no caso de ambulâncias. Já tem quase um ano que não se resolve esse problema. É preciso termos objetividade”.

Vanda avalia que a folha de pagamento da Semed tem de estar mais enxuta, priorizando investimentos na infraestrutura. “Temos de marcar reunião com o prefeito e as secretarias do governo. Minha sugestão é fazermos os encaminhamentos aos secretários e ao prefeito, para darmos uma resposta à comunidade”, disse Vanda.

A vereadora Júlia Rosa Sobre lamentou as condições das escolas da região do Rio Preto e revelou que ligou para o secretário de Educação e pediu a presença dele, mas não compareceu e não foi assumir os compromissos com a comunidade. Ela garantiu aos representantes dos moradores presentes  que a Câmara vai sentar com o prefeito João Salame para estabelecer um calendário de prioridades – inclusive  sobre transporte escolar - para discutir problemas da comunidade da Região do Rio Preto, devendo apresentar ao prefeito as demandas e formular um documento de intenção de ações do governo para minimizar a falta de políticas públicas para a região nos próximos dez dias. “O secretário Antônio de Pádua, por outro lado, tem sido um parceiro da Câmara e sempre atendeu os chamados para participar de discussões de interesse do município”, disse Júlia.

O secretário Nagib Mutran enviou para a sessão itinerante um documento informando que as ambulâncias que recebeu da gestão anterior estavam danificadas e vai ter de adquirir novas ambulâncias para enviar para a zona rural. O prefeito autorizou licitação de novas ambulâncias e em breve elas estarão disponíveis.