Vereadores criticam gestão municipal

Obras prometidas e não realizadas, coleta de lixo irregular e relação distante do Legislativo estão entre as reclamações

Pelo menos cinco vereadores usaram a tribuna da Câmara na sessão ordinária desta quarta-feira, dia 29, para criticar a postura do prefeito João Salame Neto em relação à administração do município e a relação com o Poder Legislativo.

Na tribuna, a vereadora Irismar Aráujo Melo disse que os vereadores estão sendo abarrotados de demandas da comunidade, com pedidos para cuidar de ruas esburacadas, da coleta de lixo, entre outros assuntos. “Nossos requerimentos e ofícios são solicitando esses serviços básicos para população e não estamos recebendo a devida resposta. Todos os dias somos interpelados pela população. Acorda prefeito, a população não aguenta mais”.

Irismar criticou também as mudanças permanentes do nome da empresa responsável pela coleta de lixo. “Toda vez que os problemas aumentam, mudam o nome da empresa. Não adianta mais esse tipo de desculpa, nós queremos reflexo para melhorar o serviço para a população”, disse Irismar.

A vereadora também se mostrou preocupada com o VTCard, serviço de passe nos ônibus coletivos, mas que o DMTU diz que está tendo um problema no programa. “Queremos uma resposta para dar a população, porque esse é um serviço essencial para os estudantes”, advertiu Irismar.

Vanda também criticou as visitas semanais que Salame tem feito a várias obras- que de segundo ela, a maioria está paralisada – . “Ele ainda divulgou que construiu a escola Lúcia Bichara, no bairro Araguaia, quando em verdade pegou a obra erguida, mudou a pintura, colocou terra preta e algumas plantas. Ele não construiu nada ainda neste município. Nenhuma sala de aula sequer”, sustentou.

A vereadora Vanda pediu acompanhamento mais de perto dos convênios da Prefeitura de Marabá com a mineradora Vale, inclusive do Museu Municipal, que precisa ser fiscalizado pela Câmara. “O recurso foi cortado pela metade e não está sendo aplicado na íntegra”, advertiu.

O vereador Pedro Correa cobrou do município explicações sobre o contrato com a Pavinorte, pois a empresa recorreu à Justiça e impediu a realização de uma nova licitação até que a dívida do município para com ela seja resolvida.

Pedro Correa disse que já havia cobrado do secretário municipal de Obras, Antônio de Pádua, para que todas as obras asfálticas tivessem sarjeta, meio fio e sinalização, como forma de garantir a segurança dos usuários, mas está vendo que a maioria das obras da Prefeitura não obedece a esses critérios.

Em tom de desabafo, a vereadora Antônia Carvalho, a Toinha do PT, disse que não anda mais nas ruas da Folha 6, Nova Marabá, por pura vergonha. O prefeito havia prometido asfaltar um quilômetro para beneficiar aquela comunidade, mas depois de tantas máquinas passar por lá, cavar buracos, fechar, nada de asfalto chegar. “Não sinto vontade de andar na rua. Tudo que falei e prometi não foi cumprido”, confessou.

Por outro lado, o vereador Ubirajara Sompré, fez uma breve explanação das obras inauguradas pelo prefeito em seu mandato, citando nominalmente o asfaltamento da Avenida Alfredo Monção, Cuiabá e a linha do ônibus que agora passa por essas vias.

Inauguração do Centro de Cidadania, asfalto na Avenida Amazonas, Bairro Belo Horizonte; construção das escolas Maria Lúcia Bichara, Jean Piaget e Santa Rita, além do Centro de Saúde de Morada Nova. “Sei que não é tudo, mas mostro o que foi feito pelo prefeito nos últimos meses”, destacou Ubirajara.