Vereadores discutem gargalos da saúde de Marabá e visitam modelo de Paragominas

Secretário de saúde faz explicações sobre os problemas apresentados pela Comissão de Saúde

Devido às críticas sofridas nas últimas sessões e denúncias feitas por servidores na área da saúde municipal, a Comissão de Saúde da Câmara Municipal de Marabá manteve uma longa reunião com o secretário de saúde, Nagib Mutran (PMDB), o Nagibinho, e sua equipe técnica nas dependências da Câmara, onde foram debatidos os  questionamentos inerentes à situação do sistema de saúde de Marabá. Na ocasião, os vereadores fizeram perguntas sobre o andamento dos processos e a real situação da saúde no município.

O vereador Miguel Gomes Filho (PP), o Miguelito, presidente da Comissão, lembrou que esse tipo de reunião tem sido recorrente entre a Câmara e o secretário e, na visão dele, o debate é positivo para que se alcance melhorias na pasta. “Estamos reunindo com gestores da Secretaria de Saúde de 15 em 15 dias em uma mesa de negociação, onde são discutidas todas as denúncias ou relatos que a Câmara recebe. A comissão entra em contato com o secretário, buscando informação sobre a ocorrência e levando sugestões”, explicou Miguelito.

Segundo Nagib, alguns avanços já foram alcançados e os esforços têm sido redobrados nos últimos quatro meses para se alcançar uma condição mais próxima possível do desejável. “Neste início de ano, muito foi feito, e por isso considero que alguém afirmar que a situação está igual ou pior que na época do ex-prefeito é uma brincadeira de mau gosto, disse”.

Nagib também apresentou um relatório com alguns avanços da sua gestão. O secretário informou que o prefeito autorizou a aquisição de alguns materiais que ajudarão a otimizar o funcionamento do HMI (Hospital Materno Infantil). Nagibinho disse ainda que a SMS está de posse de um relatório formulado pelos diretores do HMI, por ele, secretário e pelos médicos, com as necessidades emergências do hospital. “Já estamos em andamento com os processos licitatórios para resolver as deficiências elencadas”. Entre os encaminhamentos expostos pelo documento, segundo ele, estão uma lavanderia completa, uma mesa de cirurgia nova, entre outras coisas. Nagib afirmou que atulamente, os processos serão mais céleres na aquisição de materiais. “Conseguimos criar nossa própria comissão licitatória, que trabalha exclusivamente para a Secretaria de Saúde”, ressaltou.

O vereador Pedro Souza (PPS) perguntou se a Secretaria de Saúde está com dificuldade para contratar pediatras. Nagib informou que existe uma insuficiência desses especialistas tanto no HMM (Hospital Municipal de Marabá) quanto no HMI, e que tem sido difícil a contratação desses profissionais.

A vereadora Júlia Rosa (PDT), presidente da Câmara Municipal, disse que se sente, ainda, muito incomodada com a morte da jovem mãe Eritânia, dizendo ter recebido informação de o que o laudo do IML apresentou como resultado imperícia médica. “É preciso que se cobre na atuação dos funcionários dos hospitais maior zelo no atendimento. O cidadão já chega em busca do serviço muito fragilizado”, argumentou Júlia.

Por sua vez, a vereadora Vanda Américo (PSD) expôs que a Câmara vem recebendo denúncia de servidores e da população sobre a falta de medicamentos nos postos de saúde e nos hospitais, e que sua cobrança do governo é sempre na tentativa de incentivar a busca por melhorias. Vanda questionou, ainda, sobre a propalada terceirização dos principais serviços de saúde do município. “A terceirização será feita, ou não?”, questionou.

O vereador Pedro Corrêa (PTB), o Pedrinho, por sua vez, disse que o gestor municipal deveriam despachar, às vezes, da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), para ter uma noção exata da situação da pasta, uma das mais complexas do município.

Pedrinho questionou ao secretário sobre os plantões dos anestesistas e a situação dos equipamentos do HMI e sobre as cirurgias eletivas no HMM. “Só eu conheço 20 pacientes que estão na fila esperando pela cirurgia eletiva”, disse Pedrinho.

Em suas colocações finais, Nagib Mutran respondeu que todas as licitações têm autorização prévia do Conselho Municipal de Saúde, e que estão tentando implantar no Hospital Municipal uma unidade reguladora para desafogar o atendimento.

Sobre os medicamentos, o secretário reconheceu que a secretaria não dispõe de alguns em abundância, mas garantiu que os remédios têm chegado às unidades de atendimento.

Em relação às cirurgias eletivas, Nagib Mutran avisou que, no máximo, até o final de julho elas começarão a ser realizadas no HMM. Disse também, que está em negociação com os anestesistas para que haja plantão 24 horas no HMI.

Nessa sexta-feira (17), uma comissão de vereadores, junto com uma comitiva da prefeitura, viajou para Paragominas, onde estão conhecendo o funcionamento do sistema de saúde daquele município. “A terceirização, ou não, será definida por todos nós, mediante muito debate e contato com outros centros, verificando o que for melhor para Marabá”, finalizou Nagib.

No final, Miguelito disse que essa será a tônica da comissão de saúde: manter uma mesa de negociação constante, levando ao conhecimento da comunidade o resultado das discussões, os pontos frágeis do funcionamento dos hospitais e dos postos de saúde de Marabá, sempre com o intuito de tentar ajudar a solucionar os problemas.