Vereadores pedem fiscalização para coibir aglomeração e baderna na Orla de Marabá

Durante a sessão ordinária desta terça-feira, dia 18 de agosto, um dos assuntos mais comentados pelos vereadores de Marabá foi a aglomeração pessoas na Orla Sebastião Miranda durante o último final de semana, inclusive com briga acintosa entre dois grupos de pessoas, com o assunto viralizando nas redes sociais.
Não é de hoje que os vereadores chamam a atenção para as aglomerações e violência nos fins de semana na Orla de Marabá. Aliás, isso tem sido um problema que de tempos em tempos, vem à tona. Mas, devido à pandemia e os últimos acontecimentos que vêm ocorrendo no local, alguns parlamentares se posicionaram de forma veemente para que ações sejam realizadas pelo poder público a fim de conter a escalada de brigas e baderna, assim como as aglomerações, visto que o vírus da Covid-19 ainda continua circulando em Marabá, contaminando e matando pessoas.
A vereadora Cristina Mutran acredita que o momento não é propício para arrefecimento na questão do combate ao coronavírus. Para ela, diante do exposto em imagens que têm circulado em redes sociais, é notório que a população não tem atendido ao apelo das instituições de saúde no que diz respeita às orientações.
Nonato Dourado destacou ser importante que os órgãos de segurança do município estejam presentes para coibir a aglomeração, se antecipando e orientando as pessoas que estão transitando na orla. Ele também acredita que a PM tem efetivo para ajudar a frear esse problema.
Já o vereador Cabo Rodrigo criticou a ausência dos órgãos de segurança na orla. “Existe a ausência do Governo do Estado no local. Temos a formação de policial aqui, e quando formam 100, ficam apenas de 25 a 30 no contingente, isso quando o comandante bota o pé na parede”.
Já o vereador Marcelo Alves observou que a situação na orla, que é o principal ponto turístico de Marabá, afasta as famílias, turistas e se torna um problema, até mesmo para os que investem ou moram nas redondezas. “A questão da orla está muito feia. Ainda que não houvesse pandemia, os problemas que vemos ali deveriam ser controlados, mas os jovens marcam briga e coisas do tipo no local. Essas imagens, da última semana, rodaram o país. A polícia e os órgãos de fiscalização devem tomar providência, para que as pessoas possam passear e visitar aquele ponto com suas famílias”.
O vereador Ronisteu Araújo disse que é assustador assistir o que vem acontecendo com a orla de Marabá. “O local que é o nosso cartão postal não pode ficar sem fiscalização, segurança e acabar se tornando um lugar perigoso e transparecer isso, porque afasta as pessoas”, alerta.
Ilker Moraes, que presidiu a sessão, se posicionou dizendo que o que vem acontecendo no local não é um problema apenas de segurança pública, mas de falta de política de juventude. Segundo ele, isso se soma com a criminalidade, uso de droga, excesso de bebida dos jovens, sem perspectivas de ações de inclusão para essa faixa etária. “É preciso uma política de inclusão o social. É importante que o Governo Municipal entenda, também, que a covid-19 não acabou. Não vemos mais fiscalização, orientação. Se tem guarda municipal lá, com órgãos de segurança, inibe a aglomeração. Não vemos nenhum agente de segurança. É preciso encaminhar um documento ao comitê de segurança, para que os órgãos, tanto do estado quanto do município, atuem para manter a ordem na orla”.

Foto: Ulisses Pompeu