DMTU encerra programação do Maio Amarelo com prestação de contas na Câmara

O movimento promoveu atividades voltadas à conscientização no trânsito

Na sessão desta terça-feira, 12 de junho, o Departamento Municipal de Trânsito Urbano (DMTU) esteve na Câmara Municipal de Marabá para apresentar uma espécie de prestação de contas das ações ocorridas durante o mês de maio, sobre o movimento Maio Amarelo. Rogério Matias, coordenador de Educação no Trânsito do DMTU, explanou sobre a realização da campanha em Marabá, assim como demonstrou a avaliação do relatório.

Rogério explicou que o Maio Amarelo promoveu atividades voltadas à conscientização ao amplo debate das responsabilidades e a avaliação de riscos sobre o comportamento de cada cidadão no trânsito. Ele ainda lembrou que o movimento é uma proposição da ONU, que visa à conscientização para a redução dos acidentes de trânsito, com a intenção de chamar a atenção da sociedade para os altos índices de mortes e feridos vítimas de acidentes de trânsito. “Nosso movimento sempre começou na Câmara de Marabá e, este ano, decidimos encerrar aqui também, numa forma de prestação de contas à sociedade”.
Pedro Corrêa, presidente da Câmara Municipal de Marabá, disse que a educação e a prevenção no trânsito é um trabalho que dá resultado. “Parabenizo a ação do Departamento de Trânsito no Maio Amarelo”, disse o presidente.
O vereador Ilker Moraes informou que as estatísticas não são favoráveis em relação aos acidentes. “O trabalho de sinalização é muito importante, assim como o de educação”.
Moraes lembrou que é dele a autoria do projeto de lei que prevê a inserção da disciplina de educação no trânsito em Marabá. De acordo com o vereador, é preciso que desde cedo se tenha um trabalho, assim como em outros países, de conscientização e educação da população quanto às ações e limites no trânsito.
A vereadora Priscila Veloso disse que o Maio Amarelo fez um bom trabalho de conscientização dos problemas que envolvem o trânsito. “É importante a criação a cultura de educação no trânsito”.
Irismar Melo enfatizou que o movimento tem inspiração em uma campanha da ONU, mas, que os municípios são os que trabalham a questão educativa, buscando a diminuição de acidentes. “É preciso melhorar a atuação das pessoas no trânsito, protegendo a vida e diminuindo acidentes”.