Câmara age junto com prefeito por ações na estrada do Rio Preto

Reunião de mais de duas horas resulta em medidas imediatas e a médio prazo para amenizar os problemas das comunidades da região

O gabinete do prefeito Tião Miranda, na sede da Secretaria de Obras do município de Marabá, recebeu no início da tarde desta terça-feira, 3 de setembro, quase a totalidade de vereadores do município e representantes da empresa Buritirama, para debater a situação precária e perigosa em que se encontra a estrada do Rio Preto, região em que a mineradora possui importante  empreendimento, na Vila União, a 120 km da sede do município.

Por mais de duas horas de discussão, os vereadores e o prefeito municipal expuseram a necessidade da empresa ser mais parceira de Marabá no que diz respeito a realizações de ações que tragam benefícios à comunidade, como a manutenção periódica da referida estrada e investimento em áreas sociais, principalmente, nas comunidades próximas ao projeto de mineração.

O prefeito Tião Miranda deixou claro em suas colocações que a estrada está em uma situação deteriorada, causando muitos danos à população, como no caso dos óbitos ocorridos no último fim de semana e inúmeros acidentes que acontecem frequentemente.

Tião avisou que a prefeitura instalará balança com monitoramento para verificação e fiscalização de cargas e destinará o DMTU para realizar operações na estrada e vilas, disciplinando o tráfego de caminhões e transporte de minério.

Alecio Stringari, que utiliza a estrada há mais de 20 anos, avalia que o acidente era previsível e que a Câmara Municipal alertou por diversas vezes os representantes da empresa das condições da estrada e do perigo que era transitar por ela. Lembrou que há duas semanas, inclusive, os vereadores protocolaram em diversos órgãos municipais e estaduais documento que relata o cenário de problemas sociais e de infraestrutura para aquela região. “A estrada está um caos. A empresa, em uma situação dessa, não pode se limitar a atuar de forma paliativa. Estamos buscando, há mais de 30 dias, que a empresa melhore a estrada. Infelizmente, a mineradora não tem feito muita coisa que é de sua responsabilidade e que foi acordado com os vereadores da Casa, no que diz respeito à manutenção e melhoramento da estrada”.

Tiago Koch, que também é vereador e morador da região, disse que é preciso que a empresa em um primeiro momento firme parceria para amenizar a situação da rodovia. “No que diz respeito ao projeto de asfaltamento de algumas vilas, a empresa deve entrar com pelo menos 50% dos custos da obra”, disse o vereador.

Mariozan Quintão explicou que existe um perímetro de 35 km de estrada em péssima condição, a partir de Marabá, que deve ser emergencialmente solucionado, para que o trânsito comece a melhorar. “Essa parte está, praticamente, impedindo o tráfego na região. Além disso, devem ser feito os cortes nas ladeiras mais altas da estrada e os caminhões pipas funcionarem de forma contínua”, clamou.

Um dos vereadores mais incisivos foi Miguel Gomes Filho. Para ele, a empresa é responsável pelo acidente ocorrido no ultimo fim de semana, pela falta de manutenção na estrada. Ele ainda disse que o que a empresa deixa de contrapartida para Marabá é um miséria e não contempla em quase nada a população.

Diretor de Operações da Buritirama, Michel Morandini disse que a empresa não se exime de suas responsabilidades e que está sempre disposta a dialogar e melhorar o relacionamento com o município e a comunidade. Ele ainda relatou todos os investimentos que a empresa vem realizando no município, inclusive, que está sendo investindo cerca de 15 milhões de reais este ano na estrada, com estudos de um projeto para o trajeto, saindo da parte corretiva para a conservação da via.

Michel também revelou que a Buritirama conta, atualmente, com 1.110 empregos diretos e 3.000 indiretos e que cerca de 180 veículos da empresa utilizam a estrada do Rio Preto diariamente.

Por fim, ficou definida uma pauta de ações que deverão ser realizadas tanto pela prefeitura, quanto pela Buritirama, a começar de hoje, terça-feira, 3, com a empresa realizando a recuperação dos 35 km iniciais que estão em pior estado. 

O vereador Pedro Corrêa expressou ainda a necessidade de que a as ações sejam realizadas de forma célere, visando à prevenção de novos acidentes na estrada. Para o presidente da Câmara, o diálogo deve continuar para melhorar a situação da rodovia e oferecer melhores condições de vida para a população da região do Rio Preto. “Pedimos ainda que o presidente da Buritirama venha a Marabá para dialogar com o Poder Público e conhecer a realidade da cidade”.

Vereadores presentes: Pedro Corrêa, Cristina Mutran, Ray Athie, Priscila Veloso, Irismar Melo, Edinaldo Machado, Morivaldo Marçal, Cabo Rodrigo, Miguelito, Mariozan Quintão, Tiago Koch, Marcelo Alves e Alecio Stringari.

Segue abaixo o que ficou definido na reunião:

RESPONSABILIDADES DA BURITIRAMA

 

1)      Buritirama vai financiar 50%, de obras de asfalto em vias das vilas União, Três Poderes, Capistrano de Abreu e Brejo do Meio;

2)      Rebaixamento de ladeiras entre Marabá e a Vila Três Poderes;

3)      Aplicação de polímero para combater a poeira no trecho total entre Marabá e a Vila União;

4)      Recuperação total do trecho de 35 km iniciais da estrada;

5)      Nova quadra poliesportiva para a Vila União;

6)      Ampliação do sistema de abastecimento de água para a Vila União;

7)      Instalar sinalização vertical para balizamento da via;

8)      Agendar vinda do presidente da Buritirama a Marabá para reunião com o prefeito Tião Miranda e o Poder Legislativo;

 

RESPONSABILIDADES DA PREFEITURA DE MARABÁ

1)      Prover 50% dos recursos de pavimentação de ruas nas vilas União, Três Poderes, Capistrano de Abreu e Santa Fé;

2)      Instalação de uma balança rodoviária para controle de peso de carga dos caminhões que transitam na estrada do Rio Preto;

3)      Criação de uma patrulha de fiscalização de trânsito nas vilas ao longo da Estrada do Rio Preto;

4)      Município realizará estudo, junto com a Buritirama, para criação de rodoanel nas vilas entre a mina da empresa e a cidade de Marabá.