Denúncia de plantões médicos irregulares geram debate na Câmara

O vereador Ilker Moraes trouxe para a sessão ordinária desta terça-feira, 7 de julho de 2020, uma cópia de denúncia feita ao Ministério Público Estadual e ao Ministério Público Federal, dando conta que alguns médicos do município de Marabá têm se aproveitado do momento da pandemia para usurpar o erário municipal.
“Tive acesso às escalas de plantões do HMM (Hospital Municipal de Marabá) e a denúncia ao MP. Os documentos apontam fortes indícios de que um mesmo profissional estaria tralhando no plantão em 2 ou 3 locais simultaneamente. Há médico que figura como se tivesse passado mais de 10 dias sem dormir. É um grupo pequeno que está envolvido nisso. Essa denúncia, inclusive, deve ser encaminhada para a Polícia Federal porque há recursos federais envolvidos”, destacou o vereador.
Ilker informou, também, que encaminhou a questão para o diretor clínico do Hospital Municipal e ao gestor do município. “O prefeito deve ser a pessoa principal para ver essa questão, com abertura de processo administrativo, afastamento temporário desses servidores, e se for comprovado o delito, afastamento em definitivo”.
O vereador Ray Athiê ratificou o posicionamento do vereador Ilker e o convidou para entrarem com uma documentação solicitando que os funcionários não recebam nada e sejam afastados do serviço público. “É um caso grave, tem que ser apurado. Me somo a você para que esse funcionário seja afastado de imediato”.
A vereadora Cristina Mutran, que é médica também, expressou preocupação com a generalização do caso e envolvimento de toda a classe médica. “Isso já vem de muitos anos. Temos um grupo de profissionais, uma minoria que costuma fazer isso. No governo passado acompanhei muitos embates em relação a esses plantões. É uma cultura péssima que esses profissionais têm, em relação a indicar plantões que não têm como realizar. Essa denúncia precisa ser apurada. E quem estiver usurpando o recurso público que seja punido e o município seja ressarcido. Muita gente é boa no grupo médico, mas existe uma minoria que contamina”.
Gilson Dias frisou que quem faz as escalas com um número superior de plantões, é conivente e deve ser punido também. Para ele, é a administração pública quem tem de tomar providência e punir. “Temos bons profissionais no serviço público, mas há os que vivem ludibriando o erário com até 20 plantões por mês”, critica.
O vereador Cabo Rodrigo enfatizou que não comunga com usurpação do dinheiro público. Ele afirmou que acredita que a atual gestão trará a resposta sobre às denúncias. “No início de 2019 chegou uma denúncia ao prefeito, do Hospital Municipal, e ele fez um raspa por lá. O Parlamento e o prefeito têm de ir para cima dessa denuncia, que precisa ser apurada, doa a quem doer”.
A vereadora Irismar Melo salientou que a denúncia apresentar pelo colega Ilker Moraes está muito bem fundamentada e precisa ser averiguada. “O prefeito precisa agir de forma urgente. Não é possível que num momento como esse as pessoas se beneficiem dessa forma. Acredito que como a questão foi encaminhada para o prefeito ele dever tomar providência”.
Na denúncia apresentada pelo vereador Ilker, consta relato de esquema criminoso de desvio de recursos públicos destinados ao pagamento de plantões, praticados por profissionais médicos em hospitais públicos.