Implantação de Oncologia em Marabá volta a ser pauta na Câmara

Tema sempre muito debatido e questionado há muitos anos em Marabá, a oncologia (tratamento contra o câncer) foi mais uma vez cobrada por vereadores na Câmara Municipal durante a sessão desta terça-feira, dia 13.

O presidente do Legislativo Municipal, Pedro Corrêa, lembrou que o assunto oncologia sempre é muito discutido e a expectativa é muito grande por parte da população pela implantação do serviço de saúde na cidade.
Pedrinho, como é popularmente conhecido o presidente da Câmara, disse que esteve semana passada em Belém e procurou autoridades para cobrar a implantação do serviço de oncologia no município, conforme prometido pela gestão anterior. Ele informou que o Governo do Estado sempre diz que a referência para Marabá nesse tratamento é Belém ou Tucuruí, só que quando a população busca o serviço nesses municípios tem muita dificuldade.
O vereador informou que recebeu a orientação, em Belém, para que o município coordene uma ampla discussão em uma reunião técnica com a Sespa, Unacon de Tucuruí, Pro-Saúde, Secretaria Municipal de Saúde de Marabá e Secretaria Municipal de Saúde de Belém, para mostrar ao Governo do Estado a importância de ofertar o serviço aqui em Marabá, visto que o número de pacientes que buscam esse tipo de serviço é enorme e o deslocamento por meio do TFD (Tratamento Fora de Domicílio) é bastante precário, tanto pela distância quanto pela logística, que acabam debilitando ainda mais os pacientes. “A intenção é sensibilizar o Governo do Estado sobre a extrema necessidade que temos para implantação da oncologia em Marabá”, sustentou ele.
Por fim, o presidente da Câmara disse que já possui um levantamento da Secretaria Municipal de Saúde do Município sobre a quantidade de pacientes que fazem tratamento em Belém e Tucuruí e pediu também para que a Sespa envie um relatório contendo esses dados. “Peço que o vereador Miguelito, presidente da Comissão de Saúde, chame essa discussão na Câmara”, disse o presidente.
A vereadora Cristina Mutran recordou que quando o secretario de Saúde do Estado, Alberto Beltrame, esteve em Marabá para tratar dos leitos da UTI no Hospital Materno Infantil, disse que implantaria no Hospital Regional 20 leitos de oncologia. Ela advertiu que 20 leitos para a região do Carajás, é pouco, pelo número de pacientes que existe.