Vereadores discutem com DNIT, PRF e município melhorias para a BR-230

A Comissão de Desenvolvimento e Transporte da Câmara Municipal de Marabá debateu nesta quinta-feira, 13 de setembro, com os órgãos responsáveis, questões relacionadas à sinalização e iluminação no trecho urbano da BR-230, visto que muitos acidentes ocorrem na via e que alguns pontos estão escuros, na visão dos vereadores.
De acordo com o vereador Nonato Dourado, presidente da Comissão, a reunião foi um pedido do próprio presidente da Câmara, Pedro Corrêa, com o objetivo de discutir solução para iluminar os pontos mais caóticos.
Como a área é de responsabilidade do Governo Federal, coube à engenheira do DNIT (Departamento Nacional de Infraestrutura e de Transporte), Chaira Lacerda, expor a situação atual do órgão e as ações que estão sendo executadas ou planejadas. Ela contou que até dois ou três anos atrás, o DNIT realizava a sinalização com a mesma licitação que cobria a manutenção e tapas buracos. “Isso agora funciona de outra forma, temos verba especificamente para sinalizar as rodovias, por meio do BR Legal. Esse ano não entrou dinheiro para o programa, devido à situação econômica. Entrou verba apenas para manutenção. Esse ano não entrou recurso para sinalização por prioridades do Governo Federal”, revelou.
Mas, de acordo com ela, a partir de outubro existe a perspectiva de renovar o contrato para realizar as sinalizações de pintura de faixa provisórias na BR 230, por meio de contrato de manutenção.
O secretário de Segurança Institucional de Marabá, Jair Barata, apontou questões que estão sendo discutidas e viabilizadas entre os órgãos de segurança. Explicou que as marginais da duplicação da Transamazônica- BR-230, no trecho urbano, serão via de mão única, o que na visão dele, melhorará o transito e diminuirá o número de acidentes.
O vereador Pedro Corrêa destacou que o principal motivo da reunião é em função da quantidade de acidentes no perímetro urbano da rodovia. “A população quer saber das providências. Observei que no São Félix foi instalado uma sinalização eletrônica. É preciso ter uma dessas em frente ao Shopping Pátio Marabá e perto do Supermercado Líder, locais muito perigosos nesta rodovia”.
Badeco do Gérson opinou ser necessário o planejamento para a construção de uma ciclovia no perímetro, visto que as pistas são utilizadas por inúmeros ciclistas diariamente. Ele também mostrou preocupação com as pessoas que transitam pela rodovia pulando os muros que separam as pistas. “Não é melhor telar, como em outros locais, como em Belém, para evitar acidentes e perdas de vidas”, questionou Badeco.
Chaira Lacerda disse que havia previsão de instalar radares em frente ao shopping, e em outros locais, só que o quantitativo do equipamento foi cortado pela política atual do Governo Federal, para conter despesas.
O secretário Jair barata explanou aos vereadores, que Marabá acaba de firmar convênio entre o DMTU e a PRF, para utilizarem o pátio do órgão municipal com guincho, suporte e estrutura. Disse que pretende ainda realizar um convênio para que o DMTU auxilie a PRF no perímetro urbano da BR-230.
Edinaldo Machado salientou a necessidade de cuidado maior com a entrada da Avenida Sororó, pelo grande fluxo de carros e caminhões. “É preciso fazer algo para melhorar o trânsito na área”.
Outro ponto abordado pelos vereadores de uma forma geral é o chamado recuo de acesso. Eles enfatizaram que em frente à AABB, sentido Bairro Araguaia, é preciso realizar obra para melhorar o tráfego de veículos e diminuir o número de acidentes.
Por fim, os vereadores se disponibilizaram a irem a Brasília para solicitar o destravamento dos recursos para o BR-Legal, Programa de Segurança e Sinalização Rodoviária, que foi desenvolvido para melhorar a segurança nos 55 mil quilômetros de rodovias federais, sob jurisdição do DNIT.
Sobre a iluminação da rodovia, Nonato Dourado disse que a Câmara entrará em contato com o prefeito para que ilumine os pontos mais críticos.
Estiveram presentes os vereadores presentes Nonato Dourado, Pedro Corrêa, Mariozan Quintão, Badeco do Gérson, Marcelo e Edinaldo Machado.