VEREADORES ESTÃO PREOCUPADOS COM AUMENTO DE AGLOMERAÇÃO APÓS FLEXIBILIZAÇÃO

Com a abertura de diversas áreas que estiveram fechadas durante a pandemia, que vão desde o comércio e centros religiosos a balneários e praias, há preocupação por parte dos vereadores de que ocorra o aumento de contaminação e procura por leitos hospitalares em Marabá.
O vereador Nonato Dourado mostrou apreensão em relação à Covid-19 em Marabá. Ele lembrou que a partir do dia 12 de julho estará liberado o acesso às praias e igarapés na cidade. Para ele, é preciso que isso aconteça de forma ordenada e com fiscalização. “Os municípios que afrouxaram a flexibilização de bares e restaurante tiveram um resultado ruim. E não vejo as praias e balneários necessários nesse momento porque ninguém respeita os protocolos. Não existe distanciamento nessa área. Marabá está propenso a aumentar os casos de covid-19”, alardeou.
Ele ainda se mostrou preocupado com a volta às aulas. “O sindicato deixou bem claro que ainda não dá para voltar às aulas em agosto, mas sim em setembro”.

A vereadora Cristina Mutran se somou também refletiu sobre a liberação dos espaços. Ela afirmou que viu no último sábado a noite a Praça São Francisco lotada de pessoas passeando e sem o uso da máscara e sem fiscalização, o mesmo ocorrendo nos balneários. “As pessoas estão indo em grande número para a orla, a pesar de carros não poderem entrar. Em muitos locais está havendo o aumento de casos. Em Marabá, da forma que caminha, acho que teremos o mesmo destino”, opinou Cristina.

Edinaldo Machado falou que encontrou com o secretário de Saúde de Marabá e questionou sobre a situação atual do município no que tange a pandemia. “O secretário me disse que os números de casos aumentaram no atendimento da covid-19 nos hospitais”.
O vereador ainda destacou que deve haver um estudo para avaliar a questão. “O uso de máscara parece ser algo do passado, e acho que deve haver um estudo com dados para mostrar a realidade atual. O secretário deve vir à Câmara para prestar esses esclarecimentos. A procura está aumentando nas tendas do HMM, o que nos preocupa”, concluiu Edinaldo.

Gilson opinou que a flexibilização está sendo realizada sem nenhum acompanhamento técnico, para verificar o que pode ser liberado. Ele acredita que os vereadores têm de estar cobrando do executivo para ver as coisas acontecerem. “Marabá é uma cidade grande e o efetivo de fiscalização é pequeno, é preciso aumentar”.

Mariozan Quintão mostrou preocupação com a questão da pandemia. “A doença depende de todos nós com a prevenção de cada um. Isso deve começar até no seio da família da gente, orientando. O combate é de responsabilidade de todos, ajudando o poder público”.
O vereador Alecio Stringari destacou que não tem visto nenhum lugar onde foi realizada a flexibilização com um bom resultado. “A responsabilidade é de todos nós, e a população deve ter um comprometimento maior de seguir os protocolos de saúde, usando a máscara e o álcool em gel. Esse foi um semestre muito difícil, com a questão da pandemia”.