Vereadores voltam a cobrar reabertura de templos religiosos

O fechamento dos templos religiosos voltou a ser debatido na sessão desta terça-feira, 16 de junho, na Câmara Municipal de Marabá. Vários vereadores vêm se pronunciando sobre o tema nas últimas semanas, desde que Marabá iniciou um processo de flexibilização do isolamento social.
O vereador Pastor Ronisteu Araújo lembrou que as igrejas estão há mais de 90 dias seguindo todas as normas de isolamento. Para ele, chegou a hora de o prefeito rever a situação da flexibilização, que deverá ser gradativa, para atender as pessoas que estão precisando e procurando o apoio de suas congregações. “O prefeito parece não dar atenção, não diz nada, não fala nada. É preciso que tenha o bom senso de liberar 15% ou um número definido para que as igrejas possam atender a quem precisa de apoio nesse momento. Iremos respeitar o distanciamento e a utilização de álcool em gel, máscaras. Agiremos com responsabilidade, e dando o apoio espiritual a quem nos procura. Estamos há três meses sem realizar atendimento presencial”, disse Ronisteu, que também é pastor.
Irismar Melo reiterou os argumentos de Ronisteu. “Temos manifestado nossa indignação de não ter esse diálogo em nossa cidade. Em Marabá, se decide às portas fechadas, sem debater, num entendimento unilateral”.
A vereadora lembrou que já apresentou requerimento solicitando autorização para reabertura das igrejas com 30% da capacidade máxima de ocupação de cada templo religioso. Ela revelou que já existe uma minuta do Executivo pronta para que possa discutir a abertura das igrejas em Marabá. “As denominações religiosas fazem um trabalho espiritual e emocional muito importante para a sociedade. Os templos abrirão dentro dos parâmetros e respeitando as questões de saúde. Está faltando a assinatura do prefeito”.
O vereador Márcio do São Félix endossou o discurso dos demais vereadores e disse que o papel social da igreja é muito grande. “Em diversas comunidades esse trabalho é fundamental, com atendimento espiritual e emocional, além do social. A igreja faz parte da rotina de muitas famílias”.
O presidente da Câmara, vereador Pedro Corrêa, informou que a Prefeitura está debatendo o projeto de flexibilização de diversos segmentos em Marabá, incluindo academias, templos religiosos, universidades particulares, entre outros. “Está havendo uma reunião neste exato momento, na Prefeitura, para discutir a flexibilização e a possibilidade de esses segmentos desenvolverem suas atividades”.