Bispo Dom Vital comemora lei que faz do Círio Patrimônio Imaterial

Na sessão ordinária desta terça-feira, 25, o bispo da Diocese de Marabá, Dom Vital Corbellini, agradeceu ao presidente da Câmara, Pedrinho Corrêa, a iniciativa de criar o Projeto de Lei Nº19/2022, que torna o Círio de Nossa Senhora de Nazaré, de Marabá, Patrimônio Cultural Imaterial. A sessão contou com a participação, também, de vários padres das paróquias do município.
Ainda na sessão, Dom Vital confirmou que o Círio deste ano, em outubro, será presencial, com o tema “Maria: mãe educadora do amor”.
“Nos sentimos agradecidos a Deus pelo dom da vida pelo qual estamos vivos após o tempo de pandemia e outras doenças. O 42º Círio de Nazaré de 2022, a festa da fé, será presencial, com o povo nas ruas, com a berlinda e corda. Façamos bem essa festa com sua integridade e sua plenitude. O tema “Maria: mãe educadora do amor” está unido à Campanha da Fraternidade 2022, que fala da fraternidade e educação e seu lema nos impele com sabedoria a ensinar com amor. Convidamos os servidores do Legislativo para se fazerem presentes no Círio de Nossa Senhora de Nazaré nos dias 15 e 16 de outubro. Esta é a festa da fé do povo de Marabá”.
O bispo fez questão de enaltecer a iniciativa do vereador Pedrinho Corrêa, e destacou que todas as ações e preces do povo nas ruas e nas igrejas, por ocasião da programação do Círio de Marabá, se tornam, além de um ato de fé, patrimônio imaterial de toda a comunidade. “Fica aqui nossos agradecimentos em nome de toda comunidade católica de Marabá e em nome da nossa Diocese ao Poder Legislativo. O Senhor abençoe a todos vocês. Estamos felizes pela iniciativa e temos orgulho de viver em Marabá”.
O vereador Pedrinho Corrêa disse que o objetivo desse projeto foi ampliar o raio de proteção e valorização da cultura popular, sendo o Círio de Marabá mais do que um vento da fé cristã. Ele agradeceu aos vereadores, que votaram favoráveis ao projeto apresentado por ele e disse que o Poder Legislativo contribui para que o hoje o Círio se fortaleça mais, tanto recebendo a imagem peregrina todos os anos, como ao conceder um título como este.