Câmara realiza sessão especial do Outubro Rosa e Novembro Azul

Na manhã desta quarta-feira, 5 de outubro, a Câmara Municipal, em parceria com a Prefeitura de Marabá, realizou sessão solene conjunta relacionada ao Outubro Rosa e Novembro Azul. O presidente da Casa, Pedrinho Corrêa, abriu os trabalhos e repassou a condução da sessão à vereadora Dra. Cristina Mutran.

Também compuseram a mesa da sessão a vereadora Elza Miranda, presidente da Comissão de Direitos Humanos e da Defesa dos Direitos da Mulher e do Idoso; Miguel Gomes Filho, vereador; Edilson Pereira da Silva, coordenador do programa Saúde do Homem do 11º Centro Regional de Saúde; Monica Borchat, secretária municipal de Saúde de Marabá; Rodrigo Botelho, presidente da Subseção da OAB em Marabá; Gabriela Caetano, representante da Secretaria Regional de Governo; e Aparecida Ferreira, presidente do Instituto Esperança e Vida.

Mônica Boechat destacou que o Outubro Rosa e Novembro Azul dizem respeito à saúde de toda a família e apresentou dados da Secretaria de Saúde de Marabá relacionados ao diagnóstico de casos de câncer no Centro de Especialistas e Crismu (Centro de Referência Integrado à Saúde da Mulher). Segundo ela, atualmente são realizadas cerca de 120 mamografias semanais nas duas unidades. “Realizamos 3.000 exames de PSA no ano passado. Houve 18 encaminhamentos para tratamento em Belém e Tucuruí. Outubro e Novembro são meses que representam a campanha, mas um trabalho sendo realizado diariamente dentro da Atenção Básica e na Média e Alta complexidade, a partir do diagnóstico. Essas campanhas lembram que nós precisamos nos cuidar preventivamente”, alertou.

Aparecida Ferreira, presidente do Instituto Esperança e Vida, disse que a instituição que ajudou a criar trabalha o ano inteiro com alerta a mulheres e homens sobre a importância de prevenção. “Sabemos quando o câncer é descoberto no início, as chances de cura são maiores. Tive câncer de mama, deixei retardar, mas por isso ajudo a alertar pessoas sobre a importância do diagnóstico precoce”, ressaltou.

Ela destacou que o instituto não é só de mulheres, mas observa a dificuldade dos homens para fazer a prevenção, fazendo exames anualmente, ou conforme a orientação médica. “Prevenir é um ato de amor. Façam autoexame e procurem um médico para terem uma vida saudável. O câncer não espera, vamos nos cuidar e nos amar”.

O vereador Miguelito, que teve câncer e passou por longo tratamento, ressaltou que todos são responsáveis por diagnóstico precoce. “Só estou vivo porque foi feito diagnóstico precoce, cirurgia, e hoje estou considerado curado. Mas vou continuar me cuidando, avaliando permanentemente”.