Elmar é protagonista no Dia Municipal do Livro e da Leitura

Além do por do sol marcante e da vista privilegiada, o finzinho de tarde, na Praça São Félix de Valois, teve ainda mais uma atração, com a comemoração do Dia do Municipal do Livro e da Leitura, transcorrido no último sábado. Com ampla programação, o evento, que foi uma parceria entre a Câmara Municipal de Marabá, Prefeitura de Marabá, Unifesspa e outros atores, marcou a tarde do marabaense que esteve por lá.

Dentre as atrações a troca de livros foi uma das preferidas do público, que ainda pode participar de oficina de desenho e apreciar apresentação musical, contação de histórias. Batizado de Tarde na Praça, a comemoração ainda contou com a presença de escritores.  O evento teve grande participação popular e foi avaliado positivamente por todos.

Gabriela Silva, diretora da ELMAR (Escola do Legislativo de Municipal), destacou que esta foi a primeira edição do evento e avaliou como positiva a realização.  “Então, hoje, nós estamos aqui reunidos para celebrar o Dia Municipal do Livro e  da Leitura, que é uma lei que foi aprovada pela Câmara Municipal de Marabá em homenagem ao poeta Eduardo Castro”, recorda.

Gabriela ainda frisou que a expectativa de todos é reunir muitas pessoas que amam livro, literatura e que as várias manifestações artísticas. Destacando que além da leitura, a programação ainda teve dança, contação de história, poesia, peleja literária de cordel, música e desenho de quadrinhos.  A diretora da Elmar ressalta que a organização da celebração contou com vários parceiros, como a Biblioteca Orlando Lima Lobo, Secretaria de Cultura, Programa Marabá Leitora, da Secretaria Municipal de Educação, Grupo de Pesquisa e Estudo Observatório, da Unifesspa, e a Escola do Legislativo, além de vários membros da Associação de Escritores do Sul e Sudeste do Pará. “Recebemos escritores para vender livros, recitar poesia e até mesmo troca de livros. Então, nós temos esse grupo de pessoas e também as instituições envolvidas na realização desse evento”.

Eliane Soares, professora de Linguística da Unifesspa, disse que espera que este seja o primeiro de muitos eventos em prol do livro e da leitura. “A democratização do livro e da leitura torna o livro um objeto acessível à população. Essa é a ideia geral da lei que nós criamos, a apropriação dos autores locais. Então, esse momento, que é o de comemoração ao Dia do Livro da Leitura, foi instituído por lei em homenagem ao Eduardo Castro, grande poeta da nossa cidade. Foi alguém que militou como ativista da cultura na nossa região. Estamos  juntando duas ideias, que é o livro-leitura e a homenagem a um setor regional”.

 

Evilangela Lima, coordenadora da Biblioteca Municipal Orlando Lima Lobo, disse estar feliz olhando a participação das pessoas que comparecem, normalmente, à praça aos finais de semana, tendo uma experiência diferente, de interagir com livros, cultura e. “Livro é uma forma de diversão, de distração. Estamos bem otimistas porque acreditamos que é uma forma de atrair o público para esse mundo da leitura”.

 A Lei Municipal do Livro e da Leitura, idealizada pela professora doutora Eliane Soares, busca valorizar e oportunizar o acesso da população à produção literária do município, através de ações que viabilizem o acesso ao livro e contato com escritores da cidade.

No projeto destaca-se a ampla divulgação nos meios de comunicação e nas instituições públicas por meio de mídias de maior alcance; definição do dia 8 de outubro como um dia de mobilização nas escolas e nas instituições públicas em prol do livro e da leitura, com especial destaque para o autor regional; Aquisição de obras de autores regionais para fins de distribuição para as bibliotecas públicas, escolas e salas de leitura do município.